Economia

Organização e empresários satisfeitos com Expo São Jorge

  • 15 de Junho de 2009
  • 207 Visualizações, Última Leitura a 24 Setembro 2017 às 12:23
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Um balanço muito positivo é a opinião geral entre os participantes na Expo S. Jorge, cinco dias de mostra da realidade económica jorgense que terminou ontem na Calheta.

Rui Enes, vice-presidente do Núcleo Empresarial da ilha, realça a “excelente” adesão da população à feira, afirmando que os empresários “ estão contentes, aproveitaram a Expo S. Jorge para mostrar novos produtos e serviços”.

O responsável defende que este tipo de evento deverá, a partir de agora, “realizar-se anualmente”.

O estado de espírito entre os participantes da Expo S. Jorge ouvidos pela “ a União” vai no mesmo sentido das palavras de Rui Enes.

Do sector automóvel ao mobiliário, passando pelos produtos alimentares, a opinião geral é que a feira correspondeu ao esperado e os empresários alcançaram os objectivos que se propuseram.

“ Estabelecemos aqui contactos que levam a futuras vendas, apresentámos novos produtos para o segundo semestre de 2009, estamos contentes com a participação”, diz Paulo Reis, empresário do ramo automóvel.

Estreante neste tipo de certames, Gilberto Campo, proprietário do restaurante “ O Baleeiro”, o único presente n Expo S. Jorge, admite que estava algo receoso antes da feira começar, mas considera que esta “ superou as nossas expectativas”, admitindo que a presença do seu restaurante neste tipo de eventos é para continuar.

As datas e os barcos

Apesar do balanço positivo, a Expo S. Jorge não ficou imune de críticas. António José Soares, empresário do ramo do mobiliário, critica a data escolhida “ que cai na mesma altura em que decorre uma feira no Faial para onde o Governo Regional pagou a deslocação a pessoas de S. Jorge”.

“Podíamos ter aqui mais gente mas o Executivo pagou barcos para irem ao Faial e não o fez para se deslocarem à Calheta”, precisou.

O empresário faz ainda reparos ao preço os pavilhões que considerou “ muito caros”, mas mesmo com estas críticas, também ele se considera satisfeito:  “ vale sempre a pena participar, damos a conhecer a loja e estabelecemos contactos de negócio par ao futuro”.

Mais fácil acesso aos apoios

A Expo S. Jorge serviu igualmente par a Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH) apresentar aos empresários locais o segundo de pacote de medidas de apoio às empresas negociado com o Governo Regional.

O aumento em 40 milhões de euros da verba de apoio à divida bancária e a criação de uma linha de crédito de 20 milhões de euros para liquidação de dívidas a terceiros contraídas até Abril foram as principais novidades apresentadas na sessão e esclarecimento.

Sandro Paim, presidente da CCAH, afirmou que estas novas medias pretendem ser mais efectivos junto das empresas, isto após as primeiras medidas anunciadas “ terem tido uma taxa de aprovação na ordem dos 80-90% mas uma efectividade real nas empresas na ordem apenas de 20 a 30%, disparidade que tentámos resolver com as alterações que aqui apresentámos”.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Quatro mais Seis? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos