Economia

Expo São Jorge procura espevitar economia local

  • 16 de Maio de 2009
  • 251 Visualizações, Última Leitura a 23 Novembro 2017 às 23:59
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

De 09 a 14 de Junho o cais da Calheta irá receber a Expo São Jorge, uma feira multisectorial organizada pela Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH) de promoção e divulgação do comércio e indústria da ilha.

Dinamizar o comércio local é o grande objectivo do certame. diz Sandro Paim, presidente da CCAH, entidade que leva a cabo actividades similares na Terceira e Graciosa.

A feira, para além da área de exposição, terá um espaço dedicado à apresentação de novos produtos, stands de automóveis, dois restaurantes, um palco com animação musical todos os dias e um espaço dedicado às crianças. Paralelamente irão decorrer workshops sobre empreendorismo e inovação, além de encontros de discussão sobre questões específicas de S. Jorge.

Fátima Silveira, presidente do Núcleo Empresarial de S. Jorge, espera que a Expo São Jorge “traga uma lufada de ar fresco” ao comércio local, avançando que tem visto “entusiasmo” entre os empresários locais em relação ao certame.

As inscrições começaram no passado dia 13 de Maio encerrando a 22. Estão abertas a todos os empresários interessados, com um desconto no valor da inscrição de 60% para os associados da CCAH.

Acessibilidades por resolver

Fátima Silveira aponta como grande entrave ao desenvolvimento de São Jorge as acessibilidades, especialmente as ligações marítimas, pondo o dedo na ferida em relação à ligação diária entre as ilhas do Triângulo “ que nunca mais arranca, estamos a perder turistas que querem visitar-nos e não o podem fazer”.

O núcleo Empresarial tem procurado desbloquear a questão junto do secretário regional da Economia, de modo a as ligações diárias possam ser antecipadas em relação À data marcada de 15 de Junho, mas até ao momento não foi encontrada ainda nenhuma solução para as pretensões dos empresários de São Jorge.

Sobre o clima económico na ilha, a responsável considera que a situação “está igual ao resto do Arquipélago, os nossos empresários estão com muita dificuldade, especialmente nas cobranças”. A responsável afirma, no entanto, não ter conhecimento de empresas a fechar.

Sandro Paim aponta a retracção do consumo como o principal problema dos comerciantes, enquanto que para o sector da hotelaria e turismo prevê um ano com números em baixa.

Outro dos pilares da economia de São Jorge, a exportação de lacticínios “ irá começar a sentir os efeitos da crise devido à quebra nas encomendas nos mercados para onde estes produtos são enviados”, prevê o líder da CCAH.

Governo deve apressar-se

O presidente da CCAH mostra-se esperançado que as medidas lançadas por esta associação empresarial – parcerias especiais, cartão de crédito para associados, entre outras – produzam um impacto positivo, ao mesmo tempo que urge o Governo Regional a colocar em prática as medidas de apoio aos empresários “ que foram anunciadas e ainda não estão implementadas, sabemos que não são processos rápidos, mas são essenciais.”

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Seis mais Três? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos