Economia

25% das falências são por atrasos nos pagamentos e incobráveis

  • 11 de Maio de 2009
  • 209 Visualizações, Última Leitura a 16 Agosto 2017 às 15:14
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Um quarto das falências de empresas em Portugal e na Europa resultam dos atrasos nos pagamentos pelos clientes e dividas incobráveis, sendo o Estado duas vezes pior pagador que as empresas e particulares, revela um estudo hoje divulgado.

"É cada vez mais difícil obter pagamentos no prazo acordado", destaca o director-geral da Intrum Justitia, Luís Salvaterra, uma conclusão do estudo cujos dados apontam que 25 por cento das falências de empresa são resultado de atrasos e não pagamentos dos serviços/produtos fornecidos.

O estudo da Intrum Justitia revela ainda que "as entidades públicas portuguesas estão a pagar as contas um pouco mais cedo" do que há um ano, mas ainda assim demoram em média 129 dias, com um atraso de 72 dias em relação ao contratado (80,2 dias no ano passado), o mais elevado da Europa, onde a média é de 18 dias.

Embora melhores pagadores que o Estado os particulares e empresas aumentaram no último ano os prazos de pagamentos e também os atrasos com que pagam - de 19,2 para 30 dias e de 33 para 35 dias, respectivamente, revela o índice de pagamentos da Intrum Justitia.

"Se o sector público nos países europeus pagasse as suas contas nos prazos acordados, haveria uma injecção de liquidez na economia de 65 mil milhões de euros", adiantou Luis Salvaterra.

Não há dados desagregados para Portugal, mas o director-geral da empresa não tem dúvidas de que "seria uma injecção de capital importante, seguramente".

Também a percentagem de incobráveis em Portugal está a um nível mais elevado - 2,7 por cento - do que média dos 25 países estudados, onde aumentou de 2,0 por cento para 2,4 por cento.

No conjunto dos 25 países, as perdas assumidas pelas empresas resultantes de incobráveis somam 270 mil milhões de euros.

De acordo com o estudo, aumentou pata 77 por cento o número dos inquiridos (40 por cento no inquérito de há um ano) que temem um aumento dos riscos de pagamento.

Cerca de 90 por cento dizem que estão a receber mais tarde e com mais atrasos porque os devedores estão a enfrentar dificuldades financeiras, devido à diminuição das vendas e menor liquidez.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Sete mais Cinco? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos