Economia

Governo confirma início das viagens marítimas entre ilhas a 13 de Maio, mas ainda sem substituto para Atlântida

  • 8 de Maio de 2009
  • 261 Visualizações, Última Leitura a 18 Agosto 2017 às 16:06
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O Governo Regional dos Açores confirmou hoje o início da operação de transporte marítimo de passageiros entre as ilhas do arquipélago a 13 de Maio, mas ainda não tem substituto para o navio Atlântida.

Esta operação é aguardada sempre com expectativa pela população açoriana porque facilita a deslocação entre as ilhas, que, entre Outubro e Maio, apenas pode ser feita por avião, o que encarece bastante os custos das viagens.

Por essa razão, em regra, a operação começa com um navio na semana anterior às festas do Senhor Santo Cristo, que origina uma grande movimentação de pessoas no arquipélago, entrando o segundo navio em funcionamento apenas em meados de Junho.

Este ano, o governo regional previa iniciar a operação a 13 de Maio com o navio Atlântida, mas os problemas detectados nos testes de mar acabaram por originar a sua recusa, pelo que o transporte entre as ilhas açorianas vai arrancar com o navio Expresso Santorini.

“O navio Express Santorini saiu quinta-feira à noite de Lisboa com destino a Ponta Delgada, iniciando a operação de transporte marítimo de passageiros entre as ilhas a 13 de Maio”, anunciou hoje o governo regional, frisando que o navio possui as devidas certificações do Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM).

O governo açoriano reconheceu ainda que a utilização deste navio se destina a “ultrapassar as consequências derivadas do incumprimento dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo no contrato de construção do navio Atlântida”.

O Expresso Santorini, que já operou nos Açores, é um navio com mais de 117 metros de comprimento, capaz de transportar 650 passageiros e 120 viaturas.

Os dados oficiais indicam que o navio consegue atingir uma velocidade máxima de 19,5 nós.

A questão da velocidade máxima foi um dos pontos essenciais na decisão do governo regional, tomada a 9 de Abril, de recusar o navio Atlântida.

Nas provas de mar, realizadas entre 24 e 26 de Março, o navio, nas condições contratuais, ou seja, a 85 por cento da potência dos motores, apenas atingia a velocidade de 16,6 nós, quando a velocidade contratada era de 19 nós.

Numa intervenção que proferiu no Parlamento dos Açores, o secretário regional da Economia, Vasco Cordeiro, frisou que “em todo o processo de construção sempre foi referido que a velocidade era um requisito essencial do navio”.

Inicialmente, o governo açoriano previa iniciar a 13 de Maio a operação inter-ilhas com o Atlântida, devendo o Expresso Santorini entrar em actividade apenas em meados de Junho.

A recusa do navio construído em Viana do Castelo faz com que a operação arranque com o Expresso Santorini, estando a decorrer negociações para a contratação do navio que vai começar a operar em meados do próximo mês.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Cinco mais Um? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos