Economia

Mais de 200 empresas açorianas já recorreram às linhas de crédito

  • 25 de Fevereiro de 2009
  • 187 Visualizações, Última Leitura a 19 Outubro 2017 às 17:18
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Mais de 200 empresas já recorrem às linhas de crédito protocoladas pelo Governo açoriano para enfrentar a crise económica, instrumento financeiro que totaliza 200 milhões de euros, anunciou hoje o presidente do Executivo regional.

"O total das linhas de crédito protocoladas pelo Governo Regional atingem os 200 milhões de euros e já abrangem mais de 200 empresas nos Açores", anunciou hoje o presidente do Governo Regional, acrescentando que deste montante já foram utilizados 30 milhões de euros.

Hoje na assinatura de um protocolo entre o Governo açoriano e nove instituições de crédito destinado a apoiar os projectos de investimentos realizados no sector agrícola, Carlos César afirmou que as linhas crédito visam "estimular a cumplicidade/pacto" entre todos os intervenientes para minimizar os "efeitos mais perversos" da crise económica no arquipélago.

"Este protocolo é mais uma componente do esforço que o Governo (açoriano) está a empreender para assegurar a normalidade da economia e a manutenção das empresas", frisou Carlos César, apelando à banca para continuar a ter em conta a "fragilidade das empresas açorianas", o que deverá "determinar uma relação especial com os clientes".

Segundo o chefe do Executivo, nem as linhas de crédito devem ser instrumentos facilitadores dos incumpridores, nem a banca deve ter uma postura de rigidez com os seus clientes.

"Esperamos que as instituições financeiras acautelem a condição de se ser empresário cumpridor", disse Carlos César, para quem é essencial existir cumplicidade entre todos perante a actual fase da vida económica e empresarial.

Para o secretário regional da Agricultura e Florestas, o apoio hoje protocolado resolve "o ponto-chave dos projectos" de investimento dos agricultores, eliminando os custos financeiros tradicionalmente associados ao tempo decorrido entre pedidos e pagamentos dos apoios.

"Com este programa protocolado, o empresário passa a poder contar, a tempo e horas, com o pagamento dos apoios aos seus projectos de investimento, sem encargos financeiros adicionais", explicou Noé Rodrigues, assegurando que uma vez apresentando o pedido de pagamento este será validado no prazo de três semanas.

Além da criação de um fundo de maneio até 25 mil euros por exploração, o governante anunciou que "será publicado brevemente" o diploma que cria o sistema de compensação financeira dos encargos com financiamentos bancários para reduzir os impactos negativos da subida das taxas de juro entre Janeiro de 2006 e Outubro de 2008.

O presidente da Federação Agrícola, Jorge Rita, disse que as medidas anunciadas e o protocolo hoje assinado são "uma correcção muito positiva para a produção", porque significa "menos custos para investir e mais segurança para os lavradores".

Jorge Rita também apelou a uma maior sensibilização e solidariedade por parte da banca, argumentando que a melhoria das infra-estruturas agrícolas continuam a ser uma área prioritária de investimento.

Nos Açores existem cerca de 12 mil explorações agrícolas e quatro mil explorações leiteiras, indicou.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Seis mais Dois? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos