Economia

Sector social é negócio viável

  • 12 de Fevereiro de 2009
  • 267 Visualizações, Última Leitura a 23 Setembro 2017 às 12:52
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O presidente do Governo Regional, Carlos César, apelou ontem aos empresários privados para que encarem os investimentos no sector social como uma “área de negócio”, designadamente a criação de creches ou residências para idosos.

Falando na cerimónia de inauguração da remodelação dos Serviços Sociais e Administrativos e de Convívio da Casa do Povo da Feteira, em Angra do Heroísmo, Carlos César considerou que “o empreendedorismo social é um sector viável”.

O chefe do executivo açoriano sublinhou igualmente que, com a iniciativa privada a entrar no “negócio” da área social, “o Governo poupa no investimento inicial e a sociedade fica com mais pessoas envolvidas em acções que são da responsabilidade de todos”.

Carlos César defendeu, no entanto, que “a entrada dos empresários privados nesta área não dispensa o papel já desenvolvido pelas instituições que não têm fins lucrativos”, a quem pediu que “dêem tudo o que têm e podem pelos mais necessitados”.

No seu entender, as Casas do Povo são “centros de dinamização e agregação comunitária”, que desenvolvem nos tempos actuais “actividades mais livres” pois foram “refundadas” com a revolução democrática de Abril de 1974 em Portugal.

Segundo Carlos César, “estas instituições conseguem sinalizar com antecedência os problemas e ajudam com eficácia”.

O presidente do Governo Regional adiantou, por outro lado, que já alertou “os responsáveis das instituições de solidariedade social de que devem aproximar-se mais dos técnicos para aconselhamento e os técnicos para acompanhar minuciosamente as instituições que trabalham na inclusão e prestação de serviços sociais”.

Apelou ainda a todas as instituições para que “trabalhem em rede, no sentido de aumentar a colaboração e a eficiência”, sustentando que o Governo “não pode aumentar indefinidamente o número de valências e de funcionários nestas instituições”.

Orçadas em 280 mil euros, as novas instalações dos Serviços Sociais e Administrativos e de Convívio da Casa do Povo da Feteira incluem um núcleo do Centro de Prestações Pecuniárias (para pagamentos das obrigações de segurança social), serviços diários de enfermagem e serviços médicos uma vez por semana.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Seis mais Oito? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos