Economia

Doze instituições financeiras assinaram protocolos com Governo açoriano para linhas de crédito às empresas

  • 4 de Fevereiro de 2009
  • 252 Visualizações, Última Leitura a 20 Agosto 2017 às 17:24
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Doze instituições financeiras vão garantir a partir da próxima semana empréstimos às empresas que se candidatarem a duas linhas crédito bonificado criadas pelo Governo regional para ajudar a ultrapassar a crise no mercado financeiro internacional.

São parceiros do Executivo regional nesta iniciativa as entidades financeiras e bancárias GARVAL, LISGARANTE, NORGARANTE, BPI, BCP, BES/Açores, CGD, Santander, BANIF, Caixa de Crédito Agrícola Mútuo dos Açores, Caixa Económica da Misericórdia de Angra do Heroísmo e Montepio Geral.

Na assinatura dos protocolos com as instituições financeiras, na ilha Terceira, o vice-presidente do Governo regional garantiu que o acesso às linhas de crédito "é um processo simples, sem burocracias e rápido".

Segundo Sérgio Ávila, os empresários devem dirigir-se à instituição bancária, onde a candidatura será analisada num curto espaço de tempo e aprovada pelo Governo, se estiver conforme os regulamentos e plafonds estipulados.

Após a assinatura dos protocolos, o presidente do Governo açoriano sublinhou que estas medidas só são possíveis tendo em conta "a boa gestão das finanças públicas regionais".

"Sem esse histórico, sem esse capital de confiança que a Região tem vindo a transmitir, as instituições financeiras, como, de resto, os empresários, não reconheceriam a capacidade de interlocução que o Governo hoje tem para estes efeitos", acrescentou Carlos César, alertando para a necessidade de as empresas serem responsáveis na sua actividade.

Segundo disse, a presença do Estado deve ser cada vez mais atenta, meticulosamente reguladora, mas não absorvente da capacidade de iniciativa ou do funcionamento dos mercados.

Na mesma cerimónia, o secretário açoriano da Economia, Vasco Cordeiro, criticou "aqueles que acreditam e querem fazer com que outros também acreditem que nos tempos que correm o melhor é esperar para ver, é adiar projectos, esperando sentado e com a cabeça enterrada na areia que a tormenta passe e o clima melhore".

Um dos protocolos hoje assinado refere-se à criação de uma linha de crédito designada "Açores Investe", no valor de 40 milhões de euros, destinada ao reforço do fundo de maneio ou dos capitais permanentes das empresas.

O outro refere-se a uma linha de "Apoio à Reestruturação de Dívida Bancária", com um limite máximo de 100 milhões de euros, que possibilitará a reestruturação do endividamento bancário.

De acordo com o Executivo açoriano, este apoio vai permitir a redução dos encargos financeiros das empresas, compensando-as pelo impacto negativo causado pelo aumento das taxas de juro ocorridas nos últimos anos.

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Três mais Seis? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos