Economia

Sector empresarial açoriano com novas medidas de apoio

  • 5 de Dezembro de 2008
  • 306 Visualizações, Última Leitura a 23 Novembro 2017 às 23:58
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O governo regional anunciou ontem um conjunto de medidas para combater as consequências da crise internacional nas ilhas.
 
Carlos César, que reuniu em Angra do Heroísmo com as Câmaras do Comércio dos Açores, sublinhou que a política económica seguida na região tem sido a adequada, como provam os dados que conferem aos Açores um crescimento económico superior ao registado no país e no conjunto da União Europeia. Contudo, tendo em conta as dificuldades resultantes da conjuntura actual o governo resolveu intervir para assegurar a vitalidade económica de alguns sectores nos Açores.

Segundo Carlos César, que se fez acompanhar por Vasco Cordeiro, secretário regional Economia, e por Sérgio Ávila, vice-presidente, vai ser criada uma linha de apoio à reestruturação do endividamento das empresas destinada a compensá-las pelo excesso de encargos motivado pelas subidas taxas de juros verificadas nos últimos anos. Este apoio será concretizado através da bonificação dos juros resultantes do financiamento da consolidação das dívidas das empresas.

Será igualmente criada uma linha de crédito de apoio à criação de fundo de maneio para as micro, pequenas e médias empresas com sede na Região, avalizando o Governo 50% do financiamento perante a banca, bem como os custos de garantia da operação e a bonificação de juros.
 
Comparticipações adiantadas
 
O governo decidiu antecipar o pagamento das comparticipações governamentais, no âmbito dos sistemas de incentivos, criando um sistema de adiantamentos imediatos de subsídios e apoios já aprovados, eliminando-se, desse modo, os prejuízos resultantes dos hiatos entre o momento da aprovação desses apoios e o seu recebimento efectivo.

No âmbito do apoio à manutenção de postos de trabalho nas empresas foi decidido criar um regime de aplicação de subsídios reembolsáveis, que permitirá às empresas aceder a um novo apoio à consolidação dos seus quadros de pessoal.

Outra decisão hoje tomada foi a de o Governo ajudar as empresas na formação profissional dos seus trabalhadores atingidos por actividades marcadas pela sazonalidade, o que permitirá a conservação desses trabalhadores, nas empresas, nesse período de menor intensidade laboral.

Por outro lado, e para permitir uma visão prospectiva mais adequada e uma preparação mais atempada das empresas em matéria de concursos públicos – quer em empreitadas, quer para fornecimento de bens e serviços – ficou acordada a criação de um Observatório Prospectivo, com o que o tecido empresarial regional poderá melhorar a sua capacidade de resposta nesses domínios.

O mercado imobiliário será, igualmente, objecto de uma intervenção do Governo Regional, em moldes a definir proximamente, mas que, em princípio, resultarão na aquisição, por parte do executivo, de habitações já construídas, a partir da determinação prévia de preços por metro quadrado e em montantes a estudar.

O executivo anunciou ainda que o investimento público para o próximo futuro: ficou definido o aumento da despesa pública, em 2009, em pelo menos 10% relativamente ao corrente ano; e ficou decidido duplicar, também já em 2009 e nos próximos cinco anos, as dotações orçamentais destinadas ao investimento privado, o que permitirá a injecção de centenas de milhões de euros na economia privada e, desde logo, estimular a actividade investidora.
 
Comércio satisfeito
 
Sandro Paim, porta-voz das Câmaras do Comércio neste encontro, demonstrou-se satisfeito com as medidas apresentadas e com a possibilidade de se continuar a discutir com o governo regional outras acções de apoio para o tecido empresarial açoriano.
“Foram aceites 80 por cento das medidas propostas”, adiantou o presidente da Câmara do Comércio de Angra, para quem o governo soube responder ao desespero de algumas empresas que viram a sua capacidade financeira diminuída com o aumento das taxas de juro.

As Câmaras dos Comércio estão confiantes que estas medidas e o abaixamento das taxas de juro vão repor a confiança dos consumidores e manter o tecido económico das ilhas activo.
 
Cartão de Crédito para associados
 
A Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH) anunciou ontem uma parceria com o BCP com vista à criação de regalias financeiras para os seus associados.

Portadores do “Cartão de Associado” passarão a dispor de condições únicas para acesso aos diferentes produtos do Banco.

Uma redução acentuada do valor pago pelos Terminais de Pagamento Automático (TPA) e medidas especiais de crédito à tesouraria com juros bonificados são outras regalias resultantes do protocolo assinado.

Os Associados passam ainda a dispor de um cartão de crédito especial que permite pagamentos acima dos dois mil e quinhentos euros e descontos em diversas empresas internacionais.

O BCP realçou na ocasião que uma percentagem das transacções efectuadas com este cartão reverterá a favor de uma instituição de caridade regional, evidenciando a responsabilidade social da Associação.

Com este protocolo, a CCAH deu início à formalização das “Parcerias Especiais”, projecto que consiste num conjunto de benefícios económicos objectivos para o Empresário associado, e que pode ser consultado no site da Associação (www.ccah.eu).

Segundo o Presidente da Associação Empresarial das Ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge “estas medidas associadas às medidas que estão a ser preparadas pelo Governo Regional dos Açores, permitem-nos afirmar que estamos perante um forte pacote de vantagens únicas que os Associados da CCAH poderão usufruir”, garantindo que “ser Associado da CCAH é poupar dinheiro”.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Oito mais Três? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos