Economia

Qualificações dos profissionais do turismo "estão abaixo do desejável" - Turismo de Portugal

  • 21 de Novembro de 2008
  • 302 Visualizações, Última Leitura a 20 Agosto 2017 às 07:43
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O vogal do Conselho Directivo do Turismo de Portugal, Nuno Santos, disse hoje na Praia da Vitória que “as qualificações escolares do pessoal trabalhador deste sector ainda estão abaixo do que seria desejável”.

Em declarações aos jornalistas no início do 1º. Congresso da Associação dos Profissionais de Turismo de Portugal (APTP), Nuno Santos, que representou o Secretário de Estado do Turismo, sustentou que “será a formação profissional a desempenhar um papel duplamente importante” no próximo ano. “Através da formação profissional, quer os mais jovens que queiram entrar para trabalhar no sector quer o que já trabalham, encontrarão uma certificação escolar e outra profissional”, acrescentou este responsável.

Nuno Santos salientou que “o turismo vive um momento de força e crescimento que necessita de ter uma correspondência ao nível dos recursos humanos que estejam devidamente habilitados” a responder às exigências actuais. “Neste momento trabalham directa e indirectamente no sector, de acordo com estatísticas de 2005, mais de meio milhão de pessoas a que, segundo um pequeno estudo, se deverão juntar mais cem mil até 2015” revelou. Referiu ainda que “o ritmo da formação actual não dá resposta a estes novos cem mil profissionais que deverão vir a trabalhar no sector”.

O 1º: Congresso da Associação dos Profissionais de Turismo de Portugal, que reúne mais de duas centenas de profissionais do sector, vai debater, durante dois dias, a problemática ligada ao capital e recursos humanos ligados ao sector.

Agostinho Peixoto, presidente da APTP, defendeu ser preciso “colocar na agenda política nacional a problemática do capital humano do sector do turismo”. De acordo com Agostinho Peixoto, o encontro vai servir igualmente para perspectivar “qual o tipo de desenvolvimento [turístico] se pretende para cada um dos territórios”. Agostinho Peixoto considerou que o programa de qualificação profissional 'Novas Oportunidades' vai ao encontro das necessidades do país uma vez que permite “repescar pessoas que têm potencial para trabalhar no sector mas que necessitam de formação”. Defendeu igualmente a introdução de “um processo de auto-avaliação” para tentar monitorizar a produtividade dos profissionais do sector.

Por seu turno a Directora Regional de Turismo dos Açores, Isabel Barata, defendeu que “o congresso é um momento importante para se reflectir em novas estratégias que apontem novas soluções”. No caso dos Açores, “a formação dos profissionais do turismo está assegurada pelas diferentes escolas profissionais que ministram diversos cursos em várias áreas que habilitam o sector com profissionais”, disse. Isabel Barata prometeu que o esforço vai continuar a ser feito quer pelo governo regional quer pelas diferentes associações do sector ou mesmo em parceria, concluiu.

O 1º. Congresso da Associação dos Profissionais de Turismo de Portugal termina no próximo domingo em Angra do Heroísmo.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Dois mais Um? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos