Economia

Obras públicas na Região com mais de 20 milhões

  • 4 de Março de 2011
  • 206 Visualizações, Última Leitura a 22 Junho 2017 às 22:21
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Informou na manhã de hoje José Contente que a Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos tem cem por cento de adjudicações a empresas regionais nos últimos meses, não como forma de favorecimento, mas porque têm sido mais competitivas nos concursos públicos.

O secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos reuniu esta manhã com a AICOPA para analisar várias questões prementes sobre o sector da construção civil nos Açores, nomeadamente para dar conta do investimento público do Governo dos Açores para garantir a sustentabilidade das empresas regionais.

Nos primeiros dois meses do ano já foram lançados 32 milhões de euros em concursos públicos e 52 por cento são da responsabilidade do Governo Regional, o que representa um aumento de 50 por cento face ao período homólogo de 2010.

“Os concursos vão sair com a regularidade prevista para que o mercado fique tranquilo e exista um paralelismo entre a expectativa criada pelo plano de investimentos do Governo Regional e a realidade dos concursos lançados”, sublinhou José Contente.

Em declarações aos jornalistas o governante referiu ainda que o executivo açoriano está empenhado em travar o impacto da crise junto das empresas “através da oferta pública de trabalho, que é o que as empresas precisam para sobreviver e garantir emprego”.

Mas o Governo dos Açores, acrescentou, “não pode suportar sozinho o decréscimo de actividade e a dificuldade do financiamento da banca.

O executivo não pode suprimir a falha do investimento privado mas tudo fará para que as empresas superarem as dificuldades da actual conjuntura através do Plano Regional”, assumindo o compromisso de mais obras serem lançadas ainda este mês e ao longo do ano, neste e nos diferentes departamentos governamentais, em prol do desenvolvimento regional mas também em prol da promoção das condições ideais para as empresas da construção civil terem uma boa saúde financeira.

O lançamento de obras das várias entidades públicas, como as autarquias, e privadas, devem ser pagas atempadamente, como tem sido apanágio do Governo Regional “que só faz o que pode pagar e paga o que faz”, reiterou o Secretário Regional da tutela.

No entanto, José Contente reconhece que há empresas em dificuldade e que, provavelmente, “face à conjuntura actual e pela lei da oferta e da procura, irão dar lugar a outras”, elogiando as empresas que no âmbito da actual situação conjectural souberam adaptar-se, designadamente através da qualificação dos profissionais e seguindo outras estratégias que garantirem, assim, mais competitividade e saneamento financeiro.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Dois mais Cinco? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos