Economia

Cinco produtos açorianos com origem protegida

  • 17 de Fevereiro de 2011
  • 211 Visualizações, Última Leitura a 17 Dezembro 2017 às 19:36
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Os Açores detêm cinco produtos com rótulo registado pela Comissão Europeia na semana em que acaba de se atingir a milésima classificação.

Assim, além dos queijos do Pico e de São Jorge, do mel dos Açores e do ananás e do maracujá de São Miguel com certificado de Denominação de Origem Protegida (DOP) e da carne dos Açores com Indicação Geográfica Protegida (IGP), o produto número mil acaba de vir de Itália, de um queijo de ovelha da Sicília.

A Comissão Europeia para a Agricultura e Desenvolvimento Rural acaba de certificar o milésimo produto de denominação registado ao abrigo da rotulagem de produtos agrícolas e géneros alimentícios de qualidade.

A certificação, que decorreu na passada terça-feira, foi para um queijo de ovelha italiano, proveniente da Sicília.

Actualmente, os Açores detêm cinco artigos com esta rotulagem, nomeadamente dois queijos –o queijo do Pico e o queijo de São Jorge –, o mel dos Açores e dois frutos – o ananás e o maracujá de São Miguel.

Produtos estes que possuem o rótulo de Denominação de Origem Protegida (DOP).

O quinto produto com certificação reconhecida pela Comissão Europeia vai para a carne dos Açores que possui o selo de Indicação Geográfica Protegida (IGP).

Ao todo, Portugal, possui 127 produtos nesta lista classificada, entre publicados, registados e apresentados.

Trata-se de uma rotulagem implementada em 1992 em que foram criados regimes ao abrigo dos quais se têm vindo a registar produtos agrícolas e géneros alimentícios de qualidade provenientes de toda a União Europeia e de países além­fronteiras.


Aumento de pedidos para certificação

Segundo dados divulgados pela Comissão Eupeia, “os anos mais recentes conheceram um aumento súbito de pedidos na sequência do alargamento da União Europeia e do interesse crescente de produtores de fora da União Europeia, incluindo a Índia, China, Tailândia e Vietname, entre outros”.

Sobre o facto de se ter atingido a milésima certificação, o comissário responsável pela Agricultura e Desenvolvimento Rural, Dacian Cioclos referiu que “o registo da milésima denominação constitui um marco importante para os regimes de qualidade.

Continua a haver um enorme potencial para estes regimes que dão visibilidade aos produtos europeus de qualidade e valorizam as tradições agrícolas e o património rural”.

O titular acrescentou ainda que “os regimes de qualidade da União Europeia constituem a pedra angular do Pacote da Qualidade da Comissão, actualmente em discussão no Parlamento e no Conselho.

Com a presente proposta, reforçamos os regimes DOP IGP, designadamente aumentando o papel e as responsabilidades dos agrupamentos, e insuflamos nova vida ao regime ETG”.


DOP, IGP e ETG

Para clarificar conceitos, actualmente o registo de qualidade de produtos agrícolas e géneros alimentícios abrange três tipologias: os produtos com Denominações de Origem Protegida (DOP); produtos com Indicação Geográfica Protegidas (IGP) e produtos com Especialidades Tradicionais Garantidas (ETG).

Actualmente existem 505 produtos com DOP. Estes são, segundo a Comissão Europeia, produtos que devem as suas características exclusivamente ou essencialmente ao local de produção e ao saber dos produtores locais.

O produto agrícola ou género alimentício tem de ser produzido, transformado e preparado numa área geográfica identificada, respeitando um saber reconhecido.

Sobre os produtos IGP, a listagem actual possui 465 produtos com esta certificação.

Este selo é referente a produtos agrícolas e géneros alimentícios cuja reputação ou características estão intimamente ligadas à produção na área geográfica.

Pelo menos uma das fases de produção, transformação ou preparação ocorre na área identificada.

Quanto às Especialidades Tradicionais Garantidas (ETG), nome menos comum, e do qual existem 30 produtos reconhecidos, estes são produtos que garantem o carácter tradicional, quer na composição quer nos meios de produção.

As ETG não estão ligadas a nenhuma localização específica, mas têm de ser produzidas de acordo com um caderno de especificações.

 

Vinhos e bebidas com classificações

A par destas classificações, a Comissão Europeia gere igualmente dois registos de indicações geográficas para vinhos e para bebidas espirituosas.

O milésimo produto com reconhecimento internacional denomina-se «Piacentinu Ennese».

O produto DOP é um queijo da província de Enna, na Sicília, Itália.

O queijo é fabricado com leite de ovelha cru e açafrão (igualmente de Enna), sal e pimenta.

Segundo informações da Comissão Europeia para a Agricultura e Desenvolvimento Rural, as ovelhas, que pastam em alturas que variam entre os 400 e os 800 metros), com suplementos de feno, palha e restolho de trigo, permitem a criação de um queijo que deve a sua peculiaridade ao açafrão, às pastagens e ao saber dos produtores locais.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Dois mais Nove? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos