Economia

Criados programas para aumentar empregabilidade

  • 10 de Dezembro de 2010
  • 246 Visualizações, Última Leitura a 26 Setembro 2017 às 12:49
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O Governo Regional decidiu criar um programa para a valorização formativa e profissional de jovens açorianos com licenciatura ou mestrado e um outro para beneficiários do Rendimento Social de Inserção no desemprego.

Os dois programas denominam-se, respectivamente, “L+ - Programa de Reconversão, Monitorização, Acompanhamento e Valorização de Jovens Açorianos com Licenciatura ou Mestrado”; e “Formar, Inserir e Ocupar Socialmente” (FIOS).

Foram criados na sequência da última reunião do Conselho do Governo, anteontem em Ponta Delgada. No caso do “L+” o que se pretende é melhorar as condições de empregabilidade dos jovens recém-formados, neste caso possibilitando o seu acesso a cursos de reconversão para licenciados desempregados, bolsas de formação para pós-graduações em áreas carenciadas.

Acresce que o Executivo se propõe criar um sistema de monitorização de licenciados e instituir um prémio de boas práticas empresariais na integração profissional dos mesmos. Segundo o secretário regional da Presidência, André Bradford, o programa visa potenciar a empregabilidade de jovens com formação superior em sectores com maior saída profissional, “com impactos positivos no emprego jovem e com benefícios para o tecido empresarial”.

Quanto ao FIOS, o que está em causa é promover a empregabilidade e qualificação profissional por via da ocupação temporária de beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI), com idades entre os 18 e 55 anos, que não tenham emprego.

Destinatários sem escolaridade obrigatória e/ou com baixos níveis de qualificação profissional e por isso com maiores dificuldades no acesso ao mercado de trabalho.

Numa conjuntura difícil que afecta o emprego, André Bradford sublinhou as expectativas positivas em torno do FIOS: “considerando a experiência entretanto colhida, através de vários projectos-piloto promovidos pelo Governo nesta área, trata-se agora essencialmente de, através de intervenções adequadas às necessidades específicas do público-alvo, criar instrumentos com vista à sua inserção no mercado de trabalho ou à sua participação em actividades que satisfaçam necessidades sociais, comunitárias ou ambientais”.

Assim, as pessoas contempladas pelo FIOS estarão aptas, por exemplo, a auxiliar no funcionamento de escolas e a desenvolver trabalho comunitário. Outra resolução aprovada no Conselho do Governo traduz-se na possibilidade dada aos utentes dos serviços e organismos da Administração Pública Regional de apresentarem sugestões de melhoria no funcionamento dos serviços, além de reclamações.

Na prática, o Livro de Reclamações vai chamar-se “Livro de Reclamações e Sugestões”. Nesse sentido, a gestão das reclamações e sugestões será feita através de uma base de dados online, a par da realização de auditorias externas. Também foram aprovadas condições excepcionais para o transporte particular de trabalhadores em veículos de caixa aberta, sendo acautelada, entre outras coisas, a sua segurança.

Governo implementa plano para melhorar qualidade do ananás O Governo Regional tenciona implementar um plano para a melhoria do “Ananás dos Açores”, tendo em vista apurar a qualidade ao nível da sua produção e comercialização.

Apoio à investigação , revisão do sistema de apoios técnicos e financeiros, actualização do caderno de especificações dos frutos com denominação protegida e ainda do quadro legal de protecção do ananás, são objectivos para preservar uma cultura que se encontra ameaçada pela redução das estruturas produtivas, em resultado do crescimento urbano.

O Ananás dos Açores assume uma “significativa importância histórica e económica, dada a sua qualidade diferenciada e o seu elevado valor gastronómico, paisagístico e cultural”, justificou André Bradford.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Três mais Cinco? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos