Economia

Governo corta deduções fiscais no próximo ano

  • 14 de Outubro de 2010
  • 210 Visualizações, Última Leitura a 24 Agosto 2017 às 10:18
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O Governo pretende cortar as deduções fiscais no ano que vem. Uma versão preliminar do documento revela que as deduções fiscais de despesas com saúde, educação, lares e imóveis ficam congeladas.
 
Os habituais aumentos anuais com referencial no salário mínimo (475 euros), passam a ter como referência o valor do indexante de Apoios Sociais (420 euros).

Segundo o mesmo documento, sabe-se que as pensões de alimentos passarão a ter um limite para efeitos de dedução em sede de IRS de 1.047 euros mensais, e que acabam os benefícios fiscais para as energias renováveis e carros eléctricos.

Os contribuintes que tiverem dívidas ao Fisco perdem direito ao sigilo bancário, como já acontecia com os devedores à Segurança Social.

Para as empresas, haverá também alterações a nível do reporte dos prejuízos, que agora terá agora de ser obrigatoriamente feito em apenas quatro anos e as empresas que comprarem viaturas até 40 mil euros passam a pagar uma taxa de 10%.

Acima dos 40 mil euros, a taxa sobe para 20%.
Em 2011, mantém-se o adicional às taxas de impostos sobre produtos petrolíferos.

Estas medidas vão hoje estar em cima da mesa do Conselho de Ministros e, serão apresentadas amanhã ao País.

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Seis mais Oito? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos