Economia

Plano para 2011 agrada a Conselho de Ilha da Terceira

  • 13 de Outubro de 2010
  • 256 Visualizações, Última Leitura a 18 Dezembro 2017 às 11:03
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O Conselho de Ilha da Terceira emitiu ontem um parecer "globalmente favorável" sobre a anteproposta do Plano Regional Anual para 2011.

O organismo realça o aumento do investimento público na ilha, mais cinco milhões em relação a 2010.

"Apesar das dificuldades que hoje existem, insufladas pela crise internacional que atravessamos, é com agrado que se verifica que o reforço do investimento público é uma opção política que se mantém, passando o investimento na Terceira a ser de 158,5 milhões de euros, mais cinco milhões do que no ano de 2010", avança o parecer.

Porém, é ressalvado que foram "feitas referências ao desconhecimento do nível de execução de anteriores planos, o que pode limitar essa apreciação tão positiva".

O Conselho de Ilha considera também que no plano "consta a materialização das infraestruturas que foram prometidas no manifesto eleitoral do partido que suporta o atual governo".

Neste campo, o organismo considera de "grande reprodutividade" os investimentos do Centro de Formação do Belo-Jardim, a continuação e conclusão da Biblioteca Pública e Arquivo de Angra do Heroísmo, a recuperação do antigo Hospital da Boa Nova e a conclusão da Escola Ferreira Drumond, em São Sebastião.

Realça também as verbas destinadas para a aerogare civil das Lajes, para o projeto de construção do cais de cruzeiros de Angra do Heroísmo ou para a continuação do Parque de Exposições da Ilha Terceira, entre outros investimentos.

Os conselheiros do PSD discordam da ampliação da EBI de Angra do Heroísmo, por na anteproposta de Plano constar que esta se destina a acolher alunos do Alto das Covas e da Conceição.

No entanto, a secretária regional da Educação, Lina Mendes, já veio ontem a público afirmar que este se trata de um lapso contido no documento, sendo que a ampliação se prende com a mudança de tipologia desta escola para o terceiro ciclo.

A obra planeada deverá atingir os dois milhões de euros e consiste na ampliação do atual auditório, construção de laboratórios e ligação entre blocos.

É sublinhado também "o reforço da dotação orçamental, com impacto direto na ilha Terceira no âmbito do Emprego e da Formação Profissional, de mais de 22 milhões de euros".

Outras dotações orçamentais classificadas como positivas são oito milhões para a defesa do património arquitetónico e cultural, 23 milhões de euros para ao desenvolvimento de infraestruturas agrícolas, 13 milhões para a modernização das explorações agrícolas e florestais ou 10 milhões de euros reservados para o Turismo (promoção turística, animação e investimentos estratégicos).

No entanto, é assinalada a necessidade de repor uma verba de 200 mil euros, para a promoção do turismo de congressos, afeta ao Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo, que fazia parte do Plano anterior e não foi executada.


 

Inércia nas renováveis

A crítica mais dura do Conselho de Ilha vai para "alguma inércia" no campo das energias renováveis na Terceira. Isto "apesar dos resultados já alcançados no âmbito da energia eólica e do investimento feito na Geotermia".

O Conselho, sublinhando o cenário de crise atual, defende que é assinalável o reforço orçamental previsto, em termos regionais, para as áreas da competitividade da economia e da qualificação dos recursos humanos, acompanhado de alguma desaceleração na construção de infraestruturas.

A anteproposta de Plano prevê um volume de investimento público na Região de 804,4 milhões de euros, 510 milhões da responsabilidade direta do Governo Regional.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Nove mais Oito? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos