Economia

Empresários de turismo devem dialogar mais

  • 28 de Março de 2008
  • 373 Visualizações, Última Leitura a 24 Outubro 2017 às 10:24
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

 

 

 

 

 

“O turismo é o sector com maior potencialidade de desenvolvimento, tem muitas actividades e áreas ligadas e, por isso, é importante que os empresários se encontrem, falem entre si, olhem-se nos olhos e debatam as suas perspectivas”, diz Fernando Guerra, o actual presidente da Câmara do Comércio e Indústria dos Açores (CCIA).

 

À margem da sessão de abertura das VI Jornadas Técnicas Turismo organizadas por esta instituição que congrega as três câmaras de Comércio e Indústria nos Açores (Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Horta), Fernando Guerra salientou que esta é “uma oportunidade que os empresários têm de debater um assunto que é do seu maior interesse”.

 

Ou seja, para o presidente da CCIA, este é um sector em que os empresários regionais têm que estabelecer mais pontes de diálogo entre si.

 

Fernando Guerra acentuou também o formato inovador deste sexto encontro.

 

“Por sugestão da Câmara de Comércio e Indústria de Ponta Delgada (CCIPD) e porque no actual momento de desenvolvimento dos Açores já há alguma capacidade instalada e algum número de empresas a operar, considerou-se necessário ouvirmos alguém de fora”, diz.

 

O actual presidente da CCIA e também presidente da Câmara de Comércio e Indústria da Horta (uma vez que a presidência é rotativa), a adesão ao programa deste encontro superou as expectativas registando-se mais de 200 inscrições e “uma sala cheia” no hotel onde decorrem os trabalhos.

 

Para a directora regional do Turismo, Isabel Barata, “por melhor que todos queiramos fazer, por melhor que façam os diferentes intervenientes nesta actividade, são sempre precisas pausas para reflectir, para pensar, para projectar como é que vamos fazer melhor no futuro”.

 

Daí, considera, essa é “a grande importância destas jornadas onde estão presentes todos os players ou actores desta actividade que é muito evolutiva, muito dinâmica e, portanto, precisa de uma constante reflexão”.

 

Para Isabel Barata a presença de oradores oriundos de outras realidades possibilitam “outras formas de ver e de pensar e enriquecem de alguma forma o modo como nós podemos desenhar e desenvolver novas estratégias para o nosso destino turístico”.

 

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Quatro mais Seis? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos