Economia

Investigadores do “Green Islands” ultimam projectos-piloto

  • 14 de Junho de 2010
  • 220 Visualizações, Última Leitura a 23 Outubro 2017 às 11:02
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

A Escola Secundária Antero de Quental foi o estabelecimento de ensino escolhido para o projecto-piloto “Escola-Verde”, a desenvolver no âmbito do “Green Islands”, um dos principais projectos do MIT Portugal que pretende dotar a Região de autonomia energética, através do aumento do peso das renováveis na produção de energia.

Na prática, o grupo de trabalho da Universidade dos Açores que tem à sua responsabilidade o projecto dedicado às escolas, vai monitorizar o consumo de energia na Escola Secundária Antero de Quental e perceber como pode a aplicação de microgeradores nos estabelecimentos de ensino diminuir o consumo energético com origem em combustíveis fósseis e aumentar o consumo energético com origem em recursos renováveis.

Mas não é o único projecto-piloto que se pretende implementar. Como explica o vice-reitor da Universidade dos Açores, entidade parceira do “Green Islands”, há ainda o projecto “Lavoura-verde” e o projecto “Carro-verde”.

O projecto “Lavoura-verde” incide não só sobre a actividade pecuária, mas pretende também envolver em empresas de lacticínios.

O objectivo do grupo de trabalho é “perceber como o consumo de energia nestas actividades pode ter origem em fontes renováveis e não a partir de combustíveis fósseis como é actualmente”.

Já o “Carro-verde” é um projecto que está a estudar qual o veículo mais adequado às ilhas, nomeadamente, se deve ser eléctrico ou híbrido, ou mesmo determinar pormenores como quantos lugares deverá ter, tendo em conta os hábitos e necessidades dos açorianos.

São 18 os grupos de trabalho constituídos no âmbito da Universidade dos Açores para proceder à recolha de dados, nomeadamente através de projectos-piloto.

Além dos já mencionados, há ainda investigadores a fazer a caracterização dos consumos de energia nos Açores, na perspectiva da eficiência energética dos edifícios, ou mesmo da utilização do espaço (tendo por base os Planos de Ordenamento).

Por outro lado, está a ser estudado o potencial energético da região, em termos dos seus recursos renováveis (vento, sol, geotermia, ondas, marés, biomassa resultante de recursos florestais e biomassa resultante de resíduos municipais, bem como resíduos sorolácteos).

Também em curso está a caracterização dos padrões de comportamento dos açorianos no que se refere ao uso de energia e a caracterização dos padrões de mobilidade.

O projecto envolve o MIT- Portugal e várias universidades portuguesas, entre as quais a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, o Instituto Superior Técnico e a Universidade de Aveiro.

Neste momento, como o projecto “Green Islands” está mais focado na colheita de dados, a Universidade dos Açores tem para já um papel crucial.

Os grupos envolvidos estão a terminar a caracterização e a desenhar os projectos-piloto que começarão a ser implementados no terreno no segundo semestre deste ano.


“Corvo Inteligente”: projecto de autonomia energética para a ilha mais pequena

“Corvo Inteligente” é outro projecto que está a ser pensado no âmbito do “Green Islands”.

A ideia é, numa ilha com cerca de 150 contadores, 60 carros e 400 habitantes - e portanto, com pouco investimento, conseguir alcançar o máximo de consumo energético com origem em renováveis.

O projecto parte da ideia que é possível ter uma ilha totalmente fornecida por energia renovável, tendo simplesmente o apoio do combustível fóssil, para casos de emergência, ter carros eléctricos que podem representar 30 por cento da frota da ilha, e ter águas quentes sanitárias aquecidas pelo sol .

A meta final do “Green Islands” é alcançar 75 por cento de produção de energia nos Açores com base em recursos renováveis.


 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Cinco mais Três? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos