Economia

Copos & Companhia com menu de "feira" todas as semanas

  • 18 de Maio de 2010
  • 219 Visualizações, Última Leitura a 19 Setembro 2017 às 15:03
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O Copos & Companhia, na Praia da Vitória, vai apresentar um menu especial todas as semanas, composto por uma entrada, uma sugestão de peixe ou carne e uma sobremesa. A iniciativa surge no decorrer da boa aceitação do público do menu apresentado na recente feira gastronómica, realizada pela Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo.
 
A feira gastronómica “Sabores de Inovação”, organizada pela Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo, foi um sucesso no Copos & Companhia. Por isso mesmo os responsáveis da casa resolveram manter o conceito introduzido pelo certame. Semanalmente, o Copos tem como sugestão uma entrada, uma opção de peixe ou carne e uma sobremesa, pelos mesmos 9 euros.

“Para nós foi uma boa surpresa ver a aceitação que o conceito da feira teve nas pessoas. Em termos promocionais, sentimos que muita gente veio descobrir o Copos pela primeira vez e gostaram, nesse sentido achamos por bem manter o conceito de menu degustativo a 9 euros, mas com uma rotatividade semanal”, explica Micaela Sarabando, proprietária do restaurante.

Por outro lado a sugestão de um menu económico tem vantagens funcionais para o espaço, principalmente ao almoço e com o aumento de afluência de clientes derivado ao aproximar do Verão. “Os processos com estes menus ficam mais agilizados os processos na cozinha, principalmente ao almoço, quando as pessoas têm menos tempo. Com a vantagem que os clientes podem desfrutar de uma verdadeira refeição, onde a qualidade é inquestionável, marcando a diferença de comer na nossa casa”, acrescenta a proprietária.
 
Qualidade e singularidade

Marcar a diferença parece ser apanágio da casa e estratégia que ganha contornos de essência do Copos & Companhia enquanto restaurante. A introdução desta política de ementas variadas é simultaneamente um exercício de criatividade para a cozinha do restaurante e uma viagem de descoberta pela imensa diversidade gastronómica possível com a combinação dos produtos locais e a experiência acumulada dos “Chefes”.

“A premissa de inovação e qualidade que aplicamos na feira vai-se manter nestes menus e conceber essas ementas vai ser sempre um desafio aos cozinheiros. Por outro lado é uma forma de mostrar aos terceirenses a versatilidade gastronómica do nosso espaço, onde a variedade de sugestões vai surpreender muito as pessoas”, destaca Rui Duarte, relações públicas do restaurante.
 
A rotatividade

A filosofia de diversidade e amplitude gastronómica trazem algumas metodologias laborais novas, essencialmente ao nível dos chefes de cozinha. “Para ter um patamar qualitativo superior tem de haver uma aposta em cozinheiros de qualidade igualmente superior, isso é óbvio. No entanto, hoje em dia a sector está muito diferente de 10 anos atrás, os chefes afirmam-se mais cedo e têm um desejo imenso de aprender mais, nomeadamente diversificando os locais de trabalho e tipos de público”, refere o relações públicas, que acrescenta ainda: “por isso mesmo vamos ter uma rotatividade de chefes assinalável e com um espaçamento semestral, por exemplo já temos um novo chefe, que está a conhecer os cantos à casa com o Mário, o nosso actual cozinheiro, que está de partida”.

O mercado local não permite manter a ambição dos jovens cozinheiros que procuram afirmação, pelo menos é o que defende Rui Duarte: “existem uma limitação natural na ilha Terceira que não permite que estes jovens se assumam como grandes nomes, o Mário, por exemplo vai trabalhar para um restaurante com estrelas Michelin. Estes jovens talentosos têm ofertas de trabalhos regulares e aliciantes. Na perspectiva comercial, vamos tentar tirar partido desta rotatividade, oferendo aos nossos clientes novidades constantes e, claramente, uma sugestão gastronómica diferenciada em relação ao que existe no mercado local”, realça ainda Rui Duarte.
 
O verão

Com o calor e bom tempo, o Copos & Companhia está apostado tirar partido do excelente enquadramento com o mar e o exterior. “Vamos colocar mesas na varanda para podermos servir refeições ao ar livre, vamos ter redes brasileiras e outro mobiliário de exterior para dinamizar o jardim, pretendendo desse modo criar um ambiente mais descontraído e propício a quem está a desfrutar de um dia na praia”, sublinha Micaela Sarabando.

A empresária espera dias de muito movimento, sobretudo na vertente de petisqueira e bar: “queremos incutir a ideia de petisco da semana, para criar um hábito de beber uma cerveja e relaxar no nosso jardim. Por outro lado a vertente de bar nocturno deve também crescer um pouco, acredito que vamos ter mais movimento gerado pelo crescente número de pessoas que vão optando pela Praia da Vitória”, frisa e conclui: “nesse sentido temos já o Dj Agostinho a colaborar com o Copos aos fins-de-semana”.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Um mais Dois? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos