Economia

Mercado automóvel “ultrapassa” dificuldades

  • 16 de Maio de 2010
  • 242 Visualizações, Última Leitura a 19 Agosto 2017 às 03:39
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O mercado de automóveis novos vendidos nos Açores é o primeiro sector de actividade a dar sinais de querer ultrapassar a crise neste primeiro trimestre do ano ao invés do que acontece, por exemplo, com as pescas, a construção civil e o turismo, que permanecem no sinal “vermelho”.

Nos três primeiros meses do ano as vendas cresceram 32 por cento para 962 veículos, sendo de destacar o que se passa no segmento dos “ligeiros” com mais 300 unidades face a igual período do ano anterior.

Nos segmentos “comerciais” e “outros veículos” registou-se igualmente um aumento nas vendas, ainda que residual, com 15 e 2 unidades, respectivamente.

A priori estas notícias seriam animadoras para os vendedores que ao longo dos quatro trimestres do ano passado efectuaram a “travessia do deserto”, dificuldades que culminaram numa redução de cerca de 26 por cento no total de veículos vendidos (menos 1189 unidades, essencialmente no segmento ligeiros).

“É preciso ter algum cuidado com as estatísticas. De facto, há uma melhoria este ano, mas os números de 2009 foram muito maus”, adverte fonte do Grupo Ilha Verde, que representa o maior número de marcas automóveis nos Açores.

Fonte da Auto Açoreana confirma que no primeiro trimestre de 2010 “vendeu-se mais carros”, mas salienta que “já os resultados dos meses de Abril e Maio recuaram para os níveis de 2009”. “Tem a ver com as expectativas das pessoas com relação à evolução da economia”, acrescenta.

Já fonte de um concessionário que se dedica apenas à venda de viaturas do segmento médio-alto garante que “nesta fasquia os números raramente sobem ou descem de forma acentuada, ou seja, é um segmento à parte (da crise)”.

Este ano, apesar dos primeiros resultados serem superiores aos registados em igual período de 2009, as reticências dos vendedores parecem fazer sentido. Segundo as previsões de compra e preços elaboradas pelo Observador Cetelem para o mercado automóvel europeu em 2010, entre os indivíduos que tencionam comprar um carro, um terço declara que tenciona investir menos de 8 mil euros.

Os portugueses são os mais numerosos (40 por cento) a tencionar adquirir um veículo por menos de 8 mil euros durante o corrente ano, percentagem a que não será alheia as dificuldades actuais e as fracas expectativas para se ultrapassar a crise.

Quando questionados sobre o investimento a efectuar são os consumidores alemães que revelam uma maior disponibilidade para efectuar investimentos mais avultados.

Se por um lado 48 por cento dos alemães indicam estar dispostos a investir mais de 12 mil euros num novo veículo, por outro são os italianos (19 por cento) que menos disponibilidade revelam para investir tal montante.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Seis mais Cinco? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos