Economia

Açores vão beneficiar de reforço de verbas no actual envelope financeiro

  • 10 de Maio de 2010
  • 282 Visualizações, Última Leitura a 22 Agosto 2017 às 01:26
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

A região autónoma dos Açores vai beneficiar de um reforço de verbas durante o actual envelope financeiro em vigor até 2013.

No âmbito deste reforço a agricultura será a beneficiária, de harmonia com uma resolução que foi recentemente publicada no Jornal Oficial da União Europeia (UE).
Ensino Profissional deixa de ser garantia de emprego

O ensino profissional é, para a maioria dos jovens que opta por sair do ensino regular, a melhor forma de entrar no mercado de trabalho. Mas, no ano passado, ao contrário do que aconteceu em 2008, houve jovens formados que não conseguiram emprego.

Em 2009, ficaram excluídos do mercado 22 por cento dos alunos das escolas profissionais da Região, ou seja, 74 alunos num universo de 334 formandos, quando no ano anterior todos conseguiram começar a trabalhar após os três anos de formação profissional equivalentes ao ensino secundário.

O estudo realizado pela Direcção Regional da Educação mostra ainda que, além de nem todos os alunos terem conseguido emprego, nem todos conseguiram trabalhar na sua área profissional.

Dos 260 alunos que conseguiram entrar no mercado de trabalho, 20 por cento não conseguiram emprego na sua área de formação. Diminuiu também, em comparação com 2008, o número de alunos que decidiu prosseguir os estudos em cursos superiores.

No ano passado, continuaram a estudar 50 alunos, a maioria (35) no Ensino Superior e um pequeno número (15) em Cursos de Especialização Tecnológica. Foram os alunos da EPROSEC que tiveram mais dificuldade em entrar no mercado de trabalho.

Com o maior número de alunos (81) a concluir os seus cursos profissionais, a escola regista também o maior número (24) de desempregados, seguindo-se a Escola Profissional de Praia da Vitória que registou 12 desempregados entre os 42 finalistas.

Ambos os estabelecimentos de ensino profissional registaram uma taxa de desemprego a rondar os 29 por cento, próxima das taxas registadas na Escola Profissional de Vila Franca (com sete desempregados num universo de 25 finalistas) e da Escola Profissional do Pico (com 11 desempregados num universo de 40 alunos).

Quanto ao número de alunos que prosseguiu os estudos, são a Escola do Pico (com 11 alunos), a EPROSEC (com oito alunos),a SCM Angra do Heroísmo (com sete alunos), a INETESE-Açores (com seis) e as escolas profissionais da Ribeira Grande (5) e da Praia da Vitória (4), que se destacam entre os restantes estabelecimentos de ensino da região, onde nenhum aluno decidiu continuar a estudar.

Gonçalo Botelho, da direcção da EPROSEC, admite que se passou de um cenário de empregabilidade de quase 100 por cento, para um contexto de desemprego entre os jovens formados nas escolas profissionais.

Como admite o responsável, “o mercado está fechado”, graças à crise económica que está a afectar as empresas da Região. Antes, lembra Gonçalo Botelho, os estágios que os alunos realizam a seguir ao curso garantiam, de um modo geral, os postos de trabalhos.

Hoje, a realidade é que “não há empresas a abrir, só há notícia de empresas a encerrar” e a sua previsão é de que a tendência de desemprego entre estes jovens se irá agravar.

Para Gonçalo Botelho, tendo em conta que 2010 está a ser pior em termos económicos do que 2009, haverá mais jovens desempregados.

Na sua opinião, o facto do Programa Estagiar T ter passado para um ano, também diminuiu a rotatividade nas empresas, contribuindo para a situação actual.

Os cursos mais procurados e os menos procurados

Os cursos de animador sócio-cultural, comunicação, contabilidade, construção civil, electrónica, climatização, gás, energias renováveis e gestão de programação de sistemas informáticos foram os mais procurados de 2009.

Em compensação, diminuiu a procura dos cursos de comércio, gestão, marketing, turismo, restaurante/bar, controlo da qualidade alimentar e gestão de equipamentos informáticos e automação de computadores.

No ano passado, vários cursos deixaram de ser leccionados, muitos na área do turismo e restauração: cozinha, hotelaria e restauração/ Organização e controlo, recepção e atendimento, turismo/profissionais de informação e animação turística.

Há também cursos da área social e na área do audiovisual que deixaram de ser leccionados.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Oito mais Três? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos