Economia

Centro histórico de Angra requalificado até 2014

  • 7 de Maio de 2010
  • 242 Visualizações, Última Leitura a 18 Dezembro 2017 às 11:00
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

A Câmara Municipal de Angra do Heroísmo vai implementar, até 2014, um plano de requalificação da zona classificada da cidade. As linhas orientadoras do plano foram apresentadas na manhã de ontem pela presidente da autarquia.

Andreia Cardoso, que falava em conferência de imprensa no Salão Nobre dos Paços do Concelho, justificou as medidas com a necessidade de colmatar “as necessidades urbanas” do casco histórico de Angra.

“Em primeiro lugar, esta estratégia terá por base um plano de urbanização e um plano de pormenor e salvaguarda da zona classificada de Angra do Heroísmo, que vão nortear as acções a implementar e ordenar, além disso, a expansão da cidade para a zona da Grota do Vale e da Vinha Brava, até à zona do hospital”, explicou a autarca.

Ainda na componente regulatória, Andreia Cardoso anunciou a revisão dos regulamentos de esplanadas e da publicidade, “para garantir a uniformização dos procedimentos” e dos elementos públicos.

Além dos regulamentos, o plano apresentado ontem contempla também intervenções no pavimento de várias ruas da cidade, a troca da iluminação pública atual por lâmpadas LED e alterações no mobiliário urbano e na sinalização de trânsito e de toponímia.

“Todos estes mecanismos permitem-nos garantir mecanismos de planeamento e gestão do espaço urbano, além de implementar medidas para a requalificação e modernização da malha urbana”, explicou Andreia Cardoso.

Prédios em ruínas

Segundo a autarca socialista, o plano de acção e requalificação do centro histórico inclui também medidas para a reabilitação dos prédios em ruínas e para os vazios arquitectónicos na malha urbana.

“Uma das soluções passará pela colocação de telas nas fachadas dos prédios degradados ou nas zonas onde estão em ruínas”, explicou Raquel Silva, vereadora da autarquia.

Por seu turno, Andreia Cardoso anunciou que a requalificação da malha urbana poderá vir a ser realizada por uma sociedade de reabilitação urbana, uma entidade público-privada.

“Estamos a estudar essa solução porque o nosso conjunto edificado é bastante extenso, apresentando vários sinais de degradação, o que implica uma actuação conjunta da Câmara Municipal e das empresas privadas, tal como a lei em vigor prevê”, justificou, sem pormenorizar esta sociedade.

Comércio

Andreia Cardoso anunciou ainda que este plano comporta um eixo de acção dedicado ao comércio tradicional no centro histórico.

“Neste momento, está em curso uma candidatura da autarquia e da Câmara do Comércio ao programa Urbanismo Comercial que visa a revitalização dos estabelecimentos angrenses”, disse.

O plano integra também as acções no âmbito do plano de combate às térmitas e a regulamentação da redução até 30 por cento do Imposto Municipal sobre Imóveis.

Este plano resulta de um levantamento realizado no primeiro trimestre deste ano aos problemas na malha urbana angrense.

A resolução dos problemas está calendarizada até 2014: as zonas entre as ruas Direita e Carreira dos Cavalos e entre as ruas do Jesus e Boa Nova serão intervencionadas este ano e no próximo; esta última e a zona do Bailão em 2012; São Pedro e Santa Luzia em 2013; e a Memória/Outeiro e o Corpo Santo em 2014.

O plano está orçado em quatro milhões de euros.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Três mais Oito? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos