Economia

Golfe não se encontra entre as preferências dos turistas

  • 26 de Abril de 2010
  • 213 Visualizações, Última Leitura a 23 Outubro 2017 às 11:05
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O golfe não está entre as actividades mais procuradas pelos turistas que visitam os Açores, revela um estudo encomendado pelo Observatório do Turismo para o período de Abril de 2008 a Setembro de 2009.

O estudo, que envolveu 5307 inquéritos a turistas, nacionais e estrangeiros, concluiu que de entre as quinze actividades mencionadas, as mais votadas pelos turistas são as “Excursões”, a que se seguem a “Gastronomia” e o “Pedestrianismo”, enquanto os “Spas”, a “Vela” e a “Pesca Desportiva” estão entre as menos preferidas.

O golfe surge na nona posição. O estudo mais concluiu que os turistas preferem jogar golfe nos meses de Inverno (22,3 por cento) em detrimento do Verão (14,5 por cento).

À pergunta “Por que motivo não jogou golfe?”, o inquérito revela que 87 por cento dos inquiridos afirma não praticar aquela modalidade enquanto 7 por cento admite não ter tido tempo.

Somente 1 por cento afirma desconhecer a existência de campos de golfe e ninguém apontou falhas à qualidade dos campos.

Não deixa de ser relevante mencionar que da amostra - 5307 inquéritos – apenas 13 por cento dos inquiridos são oriundos das ilhas britânicas (Inglaterra e Irlanda), precisamente os mercados emissores que mais procuram o produto “Golfe” em Portugal, tomando por exemplo o que acontece desde há muito na região do Algarve.

O Açoriano Oriental apurou que os campos de golfe do arquipélago dos Açores são frequentados essencialmente por locais e turistas nórdicos.

Todavia, para que uma Região seja distinguida como “Destino Golfe” necessita de oferecer, no mínimo, cinco campos.

De momento, nos Açores, existem três – dois em São Miguel e um na Terceira – sendo que o Campo da Batalha, com 27 buracos, oferece a possibilidade de se constituir três circuitos, a que acresce o Campo das Furnas, portanto, em São Miguel, há a facilidade de oferecer quatro circuitos e com diferentes graus de dificuldade, embora não seja o mesmo que jogar em campos diferentes.

Faz parte dos planos do Governo Regional transformar os Açores num destino de golfe de excelência, um plano que passa pela construção de mais dois campos – Faial (privado) e Santa Maria (público) – e ainda por uma revolução no golfe e oferta associada (habitação, lazer e entretenimento) em São Miguel, através de um investimento de 700 milhões de euros a cargo do consórcio SIRAM Turismo - SGPS,SA/Oceânico Luso - Irlandês-Investimentos Imobiliários e Turismo SA.

Em 2006, o vice-presidente, Sérgio Ávila, referiu-se àquele consórcio como sendo um “experiente e consolidado grupo económico internacional” responsável por uma aposta que iria permitir, num curto espaço de tempo, “duplicar a oferta de campos de golfe na Região e consolidar o golfe como um dos pilares estratégicos do desenvolvimento turístico do arquipélago”.

Contudo, pouco tempo depois os parceiros irlandeses retiraram-se do consórcio e as dificuldades económicas da SIRAM travaram a execução do mega projecto de investimento.

Aliás, neste momento, devido às dificuldades económicas do grupo madeirense, também ele responsável pela empresa que gere o golfe em São Miguel, a Verdegolf, o grupo viu-se obrigado a passar para o Governo Regional a gestão temporária dos campos das Furnas e Batalha ficando assim garantida a actividade e os salários dos funcionários.

Turistas não se deslocam aos Açores para praticar desporto

O estudo elaborado para o Observatório do Turismo é claro: os Açores na sua versão “radical” ainda não são uma imagem que vende.

Actividades como o “Golfe”, “Mergulho”, “Vela” e “Pesca Desportiva” surgem a partir da nona posição num total das quinze actividades experimentadas pelos turistas e ocupam mesmo os últimos lugares do “top” de preferências.

Relativamente ao Golfe somente 18% dos inquiridos (média Verão/Inverno) admite ter experimentado a modalidade nos Açores.

As respostas à pergunta “O que o fez vir aos Açores?” são ainda mais claras: 93,6% veio de férias, 9,2% para visitar os familiares, 3,1% em negócios, 2,8% para eventos culturais e desporto e menos de 1% para congressos.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Dois mais Nove? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos