Economia

Produção de hortícolas pode ser bom negócio

  • 15 de Abril de 2010
  • 383 Visualizações, Última Leitura a 17 Agosto 2017 às 17:31
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Uma empresa terceirense que há vários anos se dedica à produção de aves e ovos está a desenvolver um projecto que tem como objectivo colocar no mercado produtos hortícolas cultivados e embalados nas suas instalações.

Pedro Toste Mendes, sócio-gerente da Avitoste, disse ontem ao DI que a empresa pretende abastecer o mercado com diversos tipos de hortícolas embalados através da marca “A horta da casa”.

Tendo em vista esse objectivo, estão a ser criadas áreas de cultivo em estufas e no exterior que, no conjunto, ultrapassam os dez mil metros quadrados.

“Em vez de fazermos uma produção como é habitual numa ilha de pequena dimensão e que depois é vendida em pequenos caixotes pelas mercearias, decidimos quer temos que dar um salto qualitativo e produzir em escala maior para podermos chegar às grandes superfícies comerciais”, refere.

Para avançar nesse sentido a empresa está a investir na preparação das áreas de cultivo e numa unidade onde vão ser efectuados o corte, descasca e embalagem dos produtos hortícolas.

De acordo com Pedro Toste, “este tipo de coisas não pode ter uma dimensão pequena. Ou se faz com uma escala que permite depois a sua viabilidade ou então não vale a pena”.

Na fase de arranque do projecto serão produzidos na unidade localizada na freguesia da Terra Chã diversos tipos de alfaces, espinafres, agrião e ervas aromáticas.

“Pretendemos ir mais além no que se refere à produção de hortícolas, que assenta no pé de alface e no tomate e pouco mais”, realça.

O empresário assegura que pretende recorrer a outros produtores para adquirir hortícolas para serem integrados nas embalagens de saladas que vão ser comercializados pela sua marca destinadas ao mercado local e à exportação.

REAPROVEITAMENTO

Toda a estrutura de produção de hortícolas da Avitoste foi pensada tendo em vista o reaproveitamento e optimização dos recursos que já existem para a produção de aves e ovos. O estrume e as águas residuais da produção de aves são utilizados para as culturas de hortícolas.

“Temos uma estação de tratamento que vai permitir a reutilização desses recursos para a produção de hortícolas. Podemos também tirar partido das sinergias no que se refere à  nossa estrutura de comercialização de ovos”, afirma.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Três mais Três? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos