Economia

Número de empresas diminuiu meio ponto percentual em 2008

  • 31 de Março de 2010
  • 246 Visualizações, Última Leitura a 18 Dezembro 2017 às 22:36
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O número de empresas diminuiu em Portugal durante o ano de 2008. Segundo o estudo Estatísticas das Empresas, que o Instituto Nacional de Estatística acaba de divulgar, no ano de 2008 existiam em Portugal 1 121 472 empresas, menos 0,5 por cento face ao ano de 2007. Esta diminuição, contudo, não teve correspondência no volume de negócios e no número de pessoas ao serviço, já que estes indicadores aumentaram.

Segundo os dados do INE, o sector não financeiro constituía 97,8 por cento do tecido empresarial, e que corresponde um peso de 87 por cento no total do volume de negócios realizado. "Embora o número de empresas não financeiras tenha diminuído 0,3 por cento, as taxas de variação anuais do número de pessoas ao serviço e do volume de negócios foram positivas, ainda que significativamente menos acentuadas face ao ano anterior, encontrando-se em linha com o abrandamento verificado na economia nacional em 2008", lê-se no relatório.

O sector monetário e financeiro registou a maior queda percentual no número de empresas, justificado pela” significativa diminuição do número de empresas individuais classificadas nas actividades auxiliares de seguros”. Porém, sublinha o INE, foi também este sector quem mostrou a maior subida no volume de negócios (cresceu 17,6 por cento). Por a banca e finanças ser um sector “com características muito distintas”, o INE analisou com mais detalhe as empresas do sector não financeiro. E aí demonstra que a predominância das empresas de reduzida dimensão na estrutura do sector empresarial português continua a ser uma realidade, com as empresas com menos de 10 pessoas a representarem mais de 95por cento do total de unidades empresariais em 2008.

Em termos de actividade, é o comércio que concentra a maior proporção de unidades empresariais (24,3 por cento) e de pessoas ao serviço (21,5 por cento), e foram também elas quem deu o maior contributo para o volume de negócios gerado em 2008 – 37,4 por cento.

As indústrias transformadoras representa apenas 7.3 por cento do total de empresas mas foram as que mais contribuíram para o Valor Acrescentado Bruto (VAB) do sector não financeiro, com 22 por cento. Nesta actividade económica, cada empresa empregava em média 9,7 pessoas, valor em muito superior à média de 3,5 pessoas do total do sector não financeiro.

“Destaque ainda para as actividades da Água com a maior dimensão média por empresa (26,9 pessoas) e da Electricidade com os valores mais elevados da criação de valor per capita (328,21 milhares de euros). A Electricidade foi também a actividade que registou a segunda maior dimensão média por empresa (16,5 pessoas) no conjunto das empresas não financeiras”, lê-se no estudo do INE.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Oito mais Seis? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos