Economia

Número de inscritos no IEFP sobe 19,6% em Fevereiro

  • 18 de Março de 2010
  • 245 Visualizações, Última Leitura a 24 Outubro 2017 às 10:14
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego em Portugal subiu 19,6 por cento em Fevereiro face ao mesmo mês do ano passado e aumentou 0,2 por cento face a Janeiro.

“Este valor significa uma estagnação do desemprego, situação sazonal e positivamente anómala, já que em Fevereiro do ano passado, face ao mês anterior, por exemplo, houve um acréscimo de 21.333 pessoas (4,8 por cento)”, refere uma nota do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) hoje divulgada.

De acordo com os dados do IEFP, no final de Fevereiro, encontravam-se inscritos nos Centros de Emprego do Continente e das Regiões Autónomas 561.315 desempregados, mais 1.003 indivíduos do que um mês antes.

No final de Fevereiro havia mais 92.016 desempregados inscritos do que no mesmo mês de 2008.

O instituto destaca, no entanto, que pela primeira vez desde Maio do ano passado “o acréscimo de desemprego anual homólogo situou-se abaixo das 100 mil pessoas e dos 20 por cento de aumento homólogo”.

Segundo os dados divulgados, o desemprego subiu em ambos os géneros face a Fevereiro de 2009, com o número de homens desempregados a aumentar 25,7 por cento, enquanto nas mulheres o valor avançou 14,7 por cento.

Por grupo etário, o aumento do desemprego ocorreu tanto nos jovens (menores de 25 anos), como nos adultos, com subidas de 10,2 por cento e 21,1 por cento, respectivamente.

Quanto ao tempo de permanência dos desempregados nos ficheiros, os inscritos há menos de um ano registaram um crescimento de 14,3 por cento, e os desempregados de longa duração 30,6 por cento.

A procura de um novo emprego aumentou 20,1 por cento em 12 meses, enquanto a procura do primeiro emprego subiu 13,4 por cento.

De acordo com a análise dos técnicos do IEFP, todos os níveis de habilitação escolar apresentaram mais desempregados do que em Fevereiro de 2009, mas o aumento percentual mais elevado verificou-se ao nível do ensino secundário, que registou uma subida de 26,8 por cento.

Por regiões, o número de inscritos no IEFP aumentou em todo o país face ao mês homólogo, com o Algarve a registar a maior oscilação (39 por cento), seguido da Madeira (com mais 38,9 por cento de inscritos).

Face ao mês de Janeiro, a variabilidade do desemprego foi crescente na Madeira (mais 3,8 por cento de inscritos), no Algarve (com mais 1,9 por cento de inscritos) e na região de Lisboa e Vale do Tejo (mais 0,6 por cento).

Em sentido oposto ficaram as regiões dos Açores, onde o número de desempregados inscritos no IEFP caiu 2,3 por centro, Centro (0,8 por cento), Alentejo (0,5 por cento) e Norte (0,1 por cento).

Considerando a actividade económica de origem do desemprego, 57,6 por cento eram oriundos do sector dos serviços, enquanto 38 por cento vinham da indústria, com destaque para a construção.

As ofertas de emprego recolhidas durante o mês de Fevereiro subiram em termos homólogos 22,8 por cento, atingindo o montante de 8.485 empregos, num 'stock' de 18.340 ofertas por satisfazer, 30,4 por cento acima de igual mês do ano passado.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Três mais Dois? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos