Economia

Conselho Económico e Social vai analisar problemas da SATA

  • 4 de Setembro de 2019
  • 14 Visualizações, Última Leitura a 20 Setembro 2019 às 03:16
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O Conselho Económico e Social dos Açores (CESA), que realizou ontem a sua primeira reunião, vai analisar e debater o problema das acessibilidades na Região.

Na lista de trabalhos que este novo organismo pretende realizar, ao longo do próximo ano, está ainda incluída a situação da SATA, mas também a necessidade de encontrar as melhores soluções para os desafios do setor do turismo.

Gualter Furtado, presidente do CESA, garantiu que este organismo será “uma voz independente, pluralista, onde as pessoas vão ter liberdade para dizerem aquilo que pensam”, com o objetivo de “contribuir para o desenvolvimento dos Açores”.

O presidente do Conselho Económico e Social garante que não vai apresentar uma postura “crítica ou menos crítica”, mas será sempre uma “voz independente e disponível para colaborar”.

A agenda dos assuntos a debater no Conselho Económico e Social será decidida durante a próxima reunião da comissão coordenadora, mas Gualter Furtado já esclareceu ser competência deste organismo “pronunciar-se sobre matérias económicas, laborais, sociais e ambientais”.

Neste sentido, acrescentou, que não irá “passar ao lado” de problemas relacionados com o turismo, as acessibilidades e a SATA.

“O turismo tem sido muito importante, garante muito valor acrescentado, mas também apresenta muitos problemas conexos”, indicou.

O Conselho Económico e Social dos Açores foi criado nos termos do Estatuto Político-Administrativo da Região Autónoma dos Açores e teve origem na Câmara do Comércio e Indústria dos Açores, na Federação Agrícola dos Açores e na União Geral dos trabalhadores UGT-Açores, em concertação com o Governo Regional dos Açores, tendo sido aprovado pela Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

O Conselho Económico e Social da Região Autónoma dos Açores irá substituir o Conselho Regional de Concertação Estratégica, até agora o órgão de consulta e concertação nos domínios das políticas económica, social e ambiental da região.

Na primeira reunião plenária deste organismo foram eleitos como vice-presidentes, Sérgio Ávila, vice-presidente do executivo açoriano, em representação do Governo Regional; Mário Fortuna, presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada, em representação dos empregadores; João Decq Mota, sindicalista, em representação dos trabalhadores; e Sandra Correia, em representação da juventude e das restantes organizações presentes.Foram também criadas comissões especializadas nas áreas de Economia, Educação e Formação, Ambiente e Setores Sociais.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Oito mais Três? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos