Economia

Vendas no comércio a retalho aceleram para 6,5% em abril

  • 31 de Maio de 2019
  • 46 Visualizações, Última Leitura a 15 Setembro 2019 às 22:07
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Aceleração do índice de volume de negócios no comércio a retalho em termos homólogos foi determinada pelo agrupamento dos ‘produtos alimentares’.

As vendas no comércio a retalho aceleraram para uma variação homóloga de 6,5% em abril, face aos 4,5% de março, dinamizadas pelo agrupamento dos produtos alimentares, anunciou o INE.

Em abril, os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustadas de efeitos de calendário apresentaram crescimentos homólogos de 2,6%, 3,2% e 2,5%, respetivamente, contra 2,1%, 3,7% e 1,1%, pela mesma ordem, em março.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a aceleração de 2 pontos percentuais do índice de volume de negócios no comércio a retalho em termos homólogos foi determinada pelo agrupamento dos ‘produtos alimentares’, que acelerou 5,4 pontos percentuais, “mais que compensando” a desaceleração de 0,6 pontos percentuais do agrupamento dos ‘produtos não alimentares’.

As variações homólogas dos agrupamentos dos produtos alimentares e dos produtos não alimentares foram de 6,4% e 6,6% em abril, respetivamente.

Comparando com o mês anterior, as vendas no comércio a retalho decresceram 1,0% em abril (variação de 1,7% no mês precedente), tendo as variações em cadeia dos agrupamentos de produtos alimentares e produtos não alimentares sido de -1,0% em ambos (1,3% e 2,0% em março).

Em termos nominais, o índice agregado apresentou um aumento homólogo de 6,3% em abril, contra 4,9% em março.As variações dos índices dos agrupamentos produtos alimentares e produtos não alimentares situaram-se em 6,9% e 5,7% (2,2% e 7,2% em março, pela mesma ordem).

Quanto aos índices de emprego e remunerações no comércio a retalho, aumentaram, respetivamente, 2,6% e 3,2% em abril em termos homólogos, contra 2,1% e 3,7% no mês anterior.

A taxa de variação mensal dos índices de emprego e remunerações foi de 0,7% e 3,9% em abril, contra 0,2% e 4,4% no mesmo mês de 2018, respetivamente.

Em relação ao índice de horas trabalhadas, ajustado de efeitos de calendário, o INE reporta que cresceu 2,5% em abril, em termos homólogos, contra 1,1% no mês anterior.

Quando comparado com março, o índice de horas trabalhadas apresentou uma variação de 0,2% (-1,2% em abril de 2018).


Fonte: Lusa

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Oito mais Três? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos