Economia

Região quer ser referência mundial no uso sustentável do mar

  • 8 de Março de 2019
  • 48 Visualizações, Última Leitura a 18 Agosto 2019 às 01:39
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

À margem da Cimeira Mundial dos Oceanos, o secretário regional do Mar revelou que os Açores vão ter a colaboração de uma rede internacional de parceiros.

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia adiantou ontem, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, que os Açores vão contar com a colaboração de uma rede internacional de parceiros que tem como objetivo melhorar a conservação marinha, a ‘Blue Prosperity Coalition’.

Gui Menezes, que falava à margem da Cimeira Mundial dos Oceanos, referiu que a ‘Blue Prosperity Coalition’, que foi apresentada durante o evento, se associou ao Governo dos Açores na “ambição de alargar as áreas marinhas protegidas” da Região, adianta uma nota do executivo açoriano.

Um dos exemplos apresentados nesta cimeira foi o programa ‘Blue Azores’, assinado na semana passada, no Faial, entre o Governo Regional, a Fundação Waitt e a Fundação Oceano Azul, dois dos parceiros daquela organização, e que prevê que 15% do Mar dos Açores sejam áreas protegidas.

Gui Menezes salientou que a ‘Blue Prosperity Coalition’ vai contribuir para o desenvolvimento da economia azul na Região e para o uso sustentável do mar açoriano, na medida em que esta organização poderá financiar, por exemplo, projetos ligados à biotecnologia marinha, mas também ações de promoção da literacia dos oceanos.

“Estas parcerias são muito importantes para termos uma economia cada vez mais sustentável”, afirmou o secretário regional, acrescentando que também podem contribuir para os Açores “manterem uma imagem de sustentabilidade”.

A Cimeira Mundial dos Oceanos, organizada pela revista britânica The Economist, reuniu durante três dias líderes de vários países, bem como empresas ligadas ao mar, organizações não governamentais e dezenas de cientistas.

O governante referiu que estiveram em foco nesta cimeira “os problemas e os desafios com que os oceanos estão confrontados”, em particular as alterações climáticas, mas também a sobrepesca, a pesca ilegal e o lixo marinho, sobretudo a poluição causada pelos plásticos.

Gui Menezes considerou que os Açores têm “boa ciência, boa governação e um setor pesqueiro bem estruturado”, salientando, neste sentido, que existem condições para serem “bem-sucedidos” e para darem “um sinal ao mundo de que são uma Região que quer fazer diferente”.

“A ambição deste Governo é que, daqui a uns anos, sejamos uma Região de referência no uso sustentável do mar, e que isso possa servir de exemplo a outras regiões e países”, sublinhou ainda.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Cinco mais Nove? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos