Economia

Inflação média de 2018 foi a segunda mais baixa desde 2000 nos Açores

  • 17 de Fevereiro de 2019
  • 14 Visualizações, Última Leitura a 21 Março 2019 às 22:19
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Baixa de preços na alimentação e vestuário compensou a inflação nos setores ligados ao turismo e a taxa média no final do ano foi de 0,5%.

A inflação média nos Açores foi no final de 2018 de apenas 0,5%, o segundo valor anual mais baixo desde o ano 2000 e também inferior à inflação média registada no continente português em 2018, o que já não acontecia desde 2011.

Segundo os mais recentes dados do Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA), foram sobretudo os setores dos produtos alimentares não transformados (com uma deflação média durante o ano de 2018 de -2,4%), do vestuário e calçado (-2,1%) e dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas (-1%) que ‘puxaram’ para baixo a inflação, registando em 2018 uma tendência de baixa de preços, sendo estes produtos básicos de grande consumo.

Pelo contrário, foi nas bebidas alcoólicas e tabaco (3,4%), nos produtos energéticos (2,6%), nos transportes (2,4%) e nos hotéis, cafés e restaurantes (2,3%) que mais se notou a tendência de subida de preços nos Açores em 2018.

Nos hotéis, cafés e restaurantes, uma área claramente associada ao turismo, é curioso verificar que enquanto em 2017 havia uma clara tendência de subida de preços, com a inflação média no início de 2018 a ser de 3%, já ao longo do ano passado, a inflação nesse setor voltou a entrar numa tendência de descida.

E nos transportes, onde as ligações aéreas pesam bastante, enquanto que em 2016, ainda devido aos efeitos da liberalização das ligações ao continente, a tendência até era de descida de preços, desde de 2017 e, sobretudo, em 2018 acentuou-se uma tendência para a subida dos preços nesse setor.

Contudo, as taxas de inflação nas áreas do turismo, embora com valores bem acima da média regional, ainda assim não estão a ‘empurrar’ toda a economia para uma subida generalizada de preços como poderia ser de esperar.

Em declarações ao Açoriano Oriental, o economista, professor da Universidade dos Açores e presidente da direção regional dos Açores da Ordem dos Economistas, Flávio Tiago, justifica a tendência de abaixamento de preços em setores como o vestuário ou os produtos alimentares com a “competitividade” empresarial que existe nestes setores e também por uma “maior sensibilidade aos preços” por parte dos clientes.

Por seu lado, nos setores ligados ao turismo, Flávio Tiago admite algum “arrefecimento” da procura, embora alerte para a necessidade de se olhar para estes indicadores “de uma forma agregada”, tendo em conta os efeitos das épocas altas e baixas e também para o facto do turismo ainda registar taxas de inflação acima da média.

O economista refere, por fim, que “se tem verificado nos últimos anos que os cabazes de compras dos consumidores estão a alterar-se cada vez mais rapidamente”, sendo um exemplo disso os consumos nas áreas das telecomunicações.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Cinco mais Oito? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos