Economia

Economia do Mar com a maior fatia de investimento em I&D

  • 30 de Dezembro de 2018
  • 22 Visualizações, Última Leitura a 21 Abril 2019 às 22:11
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

A economia do mar absorve a maior fatia do investimento em Investigação e Desenvolvimento na Região Autónoma dos Açores.

A economia do mar absorve a maior fatia do investimento em Investigação e Desenvolvimento (I&D) na Região Autónoma dos Açores, segundos dados que constam do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional 2017, divulgados pela Direção-Geral de Estatística da Educação e Ciência (DGEEC).

Segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), que revela a distribuição pelas várias das áreas temáticas da despesa em I&D de cada região do país, verifica-se, “por exemplo, que na área metropolitana de Lisboa o tema de investigação principal são as Tecnologias de Informação e Comunicações; no Algarve e nos Açores o tema com maior expressão é a Economia do Mar; enquanto no Alentejo quem surge em primeiro lugar é o I&D em Agroalimentar”.

Assim em 2016, dos 11,8 milhões de euros investidos em I&D na Região Autónoma dos Açores, 29 por cento foi na Economia do Mar (3,8 milhões de euros) e 20 por cento na Saúde (4,1 milhões de euros).

A verba restante distribui-se pelos restantes 13 áreas temáticas de I&D definidas pela Estratégia Nacional de Investigação e Inovação para uma Especialização Inteligente 2014-2020 (ENEI).

Refira-se que no total do país, o Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional 2017 revela que a despesa em I&D cresceu 197 milhões de euros em 2017 face a 2016, atingindo os 2.585 milhões de euros e passando a representar 1,33% do Produto Interno Bruto (PIB).

“O valor de 2017 supera os níveis de despesa em I&D registados em 2016 em 197 milhões de euros, mostrando que a despesa em I&D aumentou mais de 8,2% e, portanto, foi superior ao aumento relativo do PIB que está estimado em cerca de 4%.

Em 2016 a despesa total em I&D a nível nacional tinha sido de 2.389 milhões de euros, que representou 1,29% do PIB, enquanto em 2015 tinha sido de 2.234 milhões de euros, representando 1,2% do PIB”, escreve o MCTES.

O Ministério destaca ainda que o crescimento da despesa é “particularmente expressivo no setor das empresas”, no qual o aumento foi de 146 milhões de euros, para os 1.303 milhões de euros, representando um crescimento de 13% em 2017 face aos 1.157 milhões de euros registados em 2016.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Quatro mais Sete? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos