Economia

Região está a receber mais imigrantes com perfil de investidor

  • 19 de Dezembro de 2018
  • 41 Visualizações, Última Leitura a 18 Abril 2019 às 20:37
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

CRESAÇOR e SDEA observam que o perfil dos imigrantes na Região tem vindo a alterar-se fruto da atractibilidade do seu ambiente de negócios. Crescem investimentos por parte de imigrantes e emigrantes na área do turismo e no ramo imobiliário.

A Região convive atualmente com um novo perfil de imigrantes: são mais qualificados e, para além de evidenciarem capacidade e autonomia financeira para se instalarem no arquipélago, chegam com vontade de investir.

Isso mesmo deu conta a presidente do Conselho de Administração da CRESAÇOR - Cooperativa Regional de Economia Solidária, quando falava aos órgãos de comunicação social no âmbito do seminário ‘Novos I/Emigrantes’, que decorreu ontem no Auditório Municipal Natália Correia, assinalando o Dia Internacional das Migrações, em Ponta Delgada.

“Os Açores são uma terra de oportunidades, onde encontrámos um ambiente incomparável (...); onde ainda não se verifica uma grande densidade populacional e se constatam nichos de mercado por explorar”, disse Célia Pereira, confirmando que, por força de todos esses contextos envolventes, há agora migrantes “a investir, a comprar e a desenvolver negócios” na Região.

“Tudo isto faz com que a economia local cresça; com que o emprego possa vir a aumentar e com que ganhemos todos”, prosseguiu a responsável da CRESAÇOR.

Portanto, os fluxos migratórios mais recentes têm traçado um novo paradigma, em que o perfil de quem nos procura deixa de estar fundamentalmente assente em pessoas num cenário de pré-reforma ou reformadas e passa também a contemplar investidores.

Esta é uma realidade que o presidente do Conselho de Administração da Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores (SDEA) testemunha e regista com agrado, à luz dos números e montantes que têm vindo a ser aplicados na maioria das ilhas do arquipélago, por quem que vê nelas margem para fazer frutificar a sua ideia de negócio e rentabilizar o seu investimento.

“Nós tínhamos investimentos na casa dos 2,5 milhões de euros por ano, com base neste perfil de investidor e, em 2018, temos investimentos a rondar os 15 milhões de euros”, começou por indicar aos jornalistas Vítor Fraga, um dos convidados do fórum organizado pela CRESAÇOR e promovido pelo Governo dos Açores.

Neste momento, acrescentou, a SDEA está a acompanhar o projeto de um imigrante que poderá, a breve trecho, significar um investimento de cerca de 40 milhões de euros na Região.

É, refira-se, essencialmente, na área do turismo e no ramo imobiliário que incidem os investimentos de todos aqueles que, provenientes de outros destinos, pretendem retirar dividendos das potencialidades que a Região encerra, usufruindo do respetivo ambiente de negócios.

Presentemente, a SDEA segue de perto mais de 40 intenções de investimento nos Açores, projetos que correspondem a um montante global a rondar os 140 milhões de euros.

Esse volume de investimento, sublinhou Vítor Fraga, abarca capital nacional e estrangeiro, mas é tanto originário de pessoas que pretendem vir a residir no arquipélago, como de investidores que apenas querem recorrer a ele como centro de investimento.


Investimento com origem na diáspora triplicou em 2018 no arquipélago

O presidente do Conselho de Administração da Sociedade para o Desenvolvimento dos Açores informou ontem que, em 2018, a Região viu triplicar o investimento feito por investidores da diáspora açoriana no Canadá e nos Estados Unidos da América.

“Nós temos aqui [nos Açores] um conjunto de investimentos com base na nossa diáspora, que, no ano de 2018, triplicou o número de investimentos relativos ao período de 2013 a 2017”, disse Vítor Fraga, considerando ser um aumento que “dá bem nota da atratividade da Região para um quadro de investidores que tem uma ligação emocional à terra”.

Como indicou, estes investimentos com origem na diáspora incidiram, sobretudo, no setor hoteleiro e nas ilhas de São Miguel, Terceira, Pico e São Jorge.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Dois mais Um? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos