Economia

PIB dos Açores cresce em 2017 mas abaixo da média nacional

  • 14 de Dezembro de 2018
  • 44 Visualizações, Última Leitura a 19 Janeiro 2019 às 17:08
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

A Região Autónoma dos Açores registou no ano passado um aumento real do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,4 por cento, mas ainda assim teve um crescimento inferior à média nacional, divulgou ontem o INE.

Segundo os resultados provisórios das Contas Regionais de 2017, ontem divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no ano passado, o Produto Interno Bruto (PIB) nacional registou uma variação nominal de 4,4% e real de 2,8%, tendo todas as regiões registado crescimento.

Neste sentido o INE estima que o Algarve tenha sido a região portuguesa que mais cresceu em 2017, registando um aumento real do PIB de 3,5%, impulsionado pelo setor turístico.Também apresentaram “aumentos superiores à média do país” as regiões do Alentejo (3,2%), a Região Autónoma da Madeira (3,1%) e a Área Metropolitana de Lisboa (3,0%).

“O Norte, o Centro (ambos com 2,5%) e a Região Autónoma dos Açores (2,4%) registaram crescimentos inferiores à média nacional”, lê-se no documento. Este documento revela ainda que em termos reais se estima que todas as regiões tenham crescido, sendo que no caso dos Açores o valor do PIB regional de 2017 é estimado em 4,1 mil milhões de euros, um aumento de 4,2%, em valor, sendo a taxa nacional de 4,4%.Já os resultados finais de 2016 mostram que nesse ano, o PIB nacional registou um acréscimo nominal de 3,7% e real de 1,9%.

“Em termos nominais, o PIB apresentou variações positivas em todas as regiões, com especial relevo na região do Algarve (7,7%), seguida das regiões do Norte (4,4%) e da Região Autónoma da Madeira (3,9%)”, revela o documento, acrescentando que “a Área Metropolitana de Lisboa (3,3%), a região do Centro e a Região Autónoma dos Açores (ambas com 3,4%) apresentaram aumentos nominais ligeiramente inferiores ao desempenho nacional, enquanto o Alentejo se destacou por apresentar o crescimento nominal menos expressivo (1,5%)”.

Refira-se que o valor do PIB de 2016 após revisão passou para 3.962 milhões de euros.

Segundo o INE, os resultados finais de 2016 revelaram que as assimetrias do PIB per capita entre as 25 regiões atingem a sua expressão máxima na comparação do Alentejo Litoral (141,7) com a do Tâmega e Sousa (62,8).

Neste índice, os Açores estão cerca de 11% abaixo da média do país.

Rendimento bruto disponível das famíliasAs famílias dos Açores tiveram em 2016 um rendimento bruto disponível per capita de 12.446 euros, 380 euros acima da média nacional, revelou o INE.

“A taxa de crescimento do rendimento bruto per capita dos Açores em 2016 foi de 5,4%, em aceleração desde 2014 (aumento de 0,7%) e 2015 (aumento de 4,5%) e superior à taxa de crescimento médio nacional, em cada um destes anos”, revela a estatística, acrescentando que “em 2016 o valor do rendimento bruto disponível das famílias dos Açores (3056 M€) aumentou 5,2% e é o maior valor desde 1995, o inicio da série, superando os 3023 M€ registados no ano de 2010, até aqui o valor mais elevado”.

Acrescenta ainda que a nível nacional, o valor de 2010 ainda não foi ultrapassado. Aliás só nos Açores e no Norte o ano de 2016 regista o mais alto valor da série disponibilizada.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Nove mais Seis? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos