Economia

Turismo da Região não deve estar dependente das ‘low-cost’

  • 23 de Novembro de 2018
  • 49 Visualizações, Última Leitura a 18 Abril 2019 às 20:49
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Alerta é do presidente da APAVT que ainda defende que os Açores não podem esquecer a “sustentabilidade nem ceder a vontades de curto prazo”.

O presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) considera que a Região não deve estar ancorada nas companhias aéreas de baixo custo para consolidar e catapultar o turismo que lhe chega desde que se decidiu pela liberalização do espaço aéreo, em 2015.

Sem deixar de reconhecer que os Açores poderão ter nas ‘low-cost’ “um poderoso veículo de crescimento”, Pedro Costa Ferreira não deixou de alertar para a importância de o arquipélago não ficar apenas “dependente deste tipo de companhia aérea”.

O dirigente associativo falava na sessão de abertura do 44º Congresso Nacional da APAVT que se iniciou ontem no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, e que se propõe a debater ‘os desafios do crescimento’ do Turismo em Portugal.

O presidente da APAVT - que no seu discurso manifestou preocupações com a sobrelotação do aeroporto de Lisboa; com a quota “já madura” de transportadoras low-cost no país, e com “a atmosfera de fim de ciclo do turismo”em Portugal - defendeu que a Região deve ter a sustentabilidade como baluarte da sua estratégia turística.

“No caso específico dos Açores, o seu caminho virtuoso não pode despender a sustentabilidade nem ceder a vontades de curto prazo”, sublinhou Pedro Costa Ferreira, acrescentando que “soluções de pão para hoje e fome para amanhã devem ser firmemente combatidas em benefício, não apenas da sustentabilidade ambiental, mas também da sustentabilidade dos negócios”.

A secretária de Estado do Turismo, que tal como a secretária regional do Turismo, Marta Guerreiro, fez parte da sessão de abertura do Congresso, aproveitou para destacar o novo protocolo de promoção turística regional externa que será “simbolicamente assinado” no decorrer do evento.

“No âmbito do modelo e protocolo da promoção turística regional externa, reforçámos o orçamento em mais 37,5 por cento as verbas destinadas às agências regionais de promoção turística para, cada vez mais, promovermos a coesão territorial entre os vários destinos regionais, indicou Ana Mendes Godinho.

A Secretária de Estado terminou o seu discurso desafiando a APAVT a contemplar mais mulheres nos blocos temáticos no seu próximo congresso, protagonizando um momento inesperado - mas engraçado - no Teatro Micaelense.

É que para além do repto lançado, a governante convidou as muitas mulheres presentes na sala a subirem a palco... E o convite foi aceite.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Dois mais Cinco? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos