Economia

Açores conseguem aumento de 12% na quota do goraz

  • 20 de Novembro de 2018
  • 149 Visualizações, Última Leitura a 20 Junho 2019 às 23:13
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Reunião dos Ministros das Pescas em Bruxelas foi positiva para os Açores, que ganharam quota no goraz e reduziram as perdas nos ‘Beryx’.

Os Açores vão ter um aumento de 12% na quota do goraz para o biénio 2019/2020, o que se traduz em mais 69 toneladas por ano, passando das atuais 507 para 576 toneladas, superando mesmo as expectativas iniciais do Governo nesta negociação.

Uma boa notícia para os pescadores açorianos, que vão ter um importante reforço de quota numa das espécies com maior valor comercial, sendo que já este ano tinha sido conseguido um reforço para a quota do goraz de 24 toneladas.

O anúncio do reforço da quota do goraz foi feito ontem pelo secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia, em Bruxelas, onde a decisão foi tomada na reunião do Conselho Ministros das Pescas da União Europeia.

Citado pelo GACS, Gui Menezes, que integrou a comitiva portuguesa, afirmou que desde que foram implementadas quotas para espécies de profundidade, “esta é a primeira vez que se regista o aumento de quota para o goraz”.

Gui Menezes referiu também que este aumento da quota do goraz “é fruto da gestão racional deste recurso pela Região, e que é suportada por dados científicos”, acrescentando que o aumento de 12% “superou as expectativas, dado que a Região havia reivindicado um aumento da ordem dos 10%”.

Ainda sobre o aumento da quota do goraz, Gui Menezes não deixou, contudo, de alertar que “os Açores têm de estar permanentemente atentos ao estado deste recurso e continuar o caminho da gestão mais racional da quota para se obter um maior rendimento”.

Mas na reunião de ontem do Conselho de Ministros das Pescas da União Europeia não foram apenas decididos aumentos de quota, tendo os Açores visto baixar a sua quota noutras espécies com valor, como é o caso do imperador e do alfonsim, os chamados ‘Beryx’.

Contudo, Portugal conseguiu à mesa das negociações que a redução proposta inicialmente pela Comissão Europeia de 20% da quota para estas espécies acabasse bastante menor, sendo que “após a argumentação da comitiva portuguesa, a quota sofreu um corte de menos 10%”, explicou Gui Menezes.

A Região passa assim a dispor para os próximos dois anos de 139 toneladas anuais de quota para estas espécies, sendo que desde maio de 2017 os Açores detêm 85% da quota total nacional dos ‘Beryx’.

Gui Menezes referiu ainda que após a reunião de ontem em Bruxelas e tal como era reivindicado pelo governo açoriano, mantêm-se também os Totais Admissíveis de Captura (TAC) para tubarões de profundidade, enquanto captura acessória da pesca dirigida ao peixe-espada preto.

Gui Menezes concluiu, por isso, que os resultados obtidos nesta reunião em Bruxelas refletem “o trabalho levado a cabo pelo Governo dos Açores nos últimos dois anos, no que respeita à gestão racional das possibilidades de pesca e dos recursos piscícolas disponíveis na Região”, salientando que “os armadores e pescadores açorianos veem agora o seu esforço recompensado”.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Dois mais Cinco? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos