Economia

Proveitos da hotelaria duplicaram em três anos após a liberalização

  • 18 de Novembro de 2018
  • 36 Visualizações, Última Leitura a 23 Março 2019 às 01:05
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Entre 2014 e 2017, após a liberalização das ligações aéreas ao continente, os proveitos da hotelaria tradicional açoriana duplicaram.

Os proveitos totais da hotelaria tradicional açoriana, que incluem o alojamento e todos os restantes serviços prestados pelos hotéis, duplicaram nos últimos três anos, após a liberalização das ligações aéreas ao continente, que aconteceu no final de março de 2015.

Segundo os dados do Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA), enquanto que no ano de 2014, os proveitos totais da hotelaria açoriana somaram nos doze meses 44,6 milhões de euros, apenas três anos mais tarde, no total do ano de 2017, esse valor já tinha duplicado para 87,6 milhões de euros.

E os números não param de crescer, uma vez que segundo os mais recentes dados do SREA, entre janeiro e setembro deste ano, os proveitos totais da hotelaria açoriana somaram já 79,7 milhões de euros, com um crescimento homólogo de 8,4 por cento, o que indicia que o ano de 2018 deverá terminar com proveitos totais acumulados superiores a 90 milhões de euros.

A evolução dos proveitos em 2018 é surpreendente, na medida em que as dormidas na hotelaria tradicional estagnaram a partir de abril, com ligeiras subidas e descidas mensais, após três anos de crescimentos homólogos ininterruptos, desde outubro de 2014.

Não que haja menos turistas, mas sim porque as outras tipologias como o Alojamento Local estão a crescer e a absorver algumas dormidas que antes iam para a hotelaria tradicional.

A evolução dos proveitos reflete-se ainda no Rendimento Médio por Quarto Disponível (RevPAR), o principal indicador da rentabilidade da hotelaria, que nos Açores também duplicou nos últimos três anos, entre a média de 22,2 euros do ano de 2014 para a média de 45,9 euros que se verifica este ano no acumulado entre janeiro e setembro.

Questionado pelo Açoriano Oriental sobre este grande aumento dos proveitos da hotelaria tradicional, o representante nos Açores da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), Fernando Neves, começou por lembrar que o duplicar dos proveitos da hotelaria açoriana se dá porque o nível em que se estava em 2014, antes da liberalização das ligações aéreas, era muito baixo.

Em declarações ao Açoriano Oriental, Fernando Neves diz mesmo que, nessa altura, o turismo estava numa situação complicada nos Açores, “com uma crise profunda e com as empresas ligadas à hotelaria descapitalizadas, pelo que nesses três anos nós ainda não resolvemos todos os problemas, embora tenhamos melhorado ao nível da tesouraria”.

E mesmo agora, afirma Fernando Neves, apesar do RevPAR ter duplicado, as diárias dos hotéis em Ponta Delgada, por exemplo, andarão ainda pelos 60 euros na média do ano todo, quando em Lisboa essa média é superior a 150 euros, pelo que “temos ainda que crescer nos preços”.

Uma questão importante relacionada com o grande aumento dos proveitos na hotelaria tradicional dos Açores nos últimos três anos é a de se saber se esse aumento se tem traduzido na criação de emprego.

Fernando Neves não tem dúvidas que sim, afirmando que o turismo “tem criado muitos postos de trabalho nos últimos anos”.

E lembra que as carreiras no turismo, apesar de começarem num patamar baixo, permitem uma “evolução rápida”, sendo que atualmente na hotelaria açoriana “há muitos postos intermédios de chefia que ainda estão por preencher” e que podem tornar essa carreira apelativa para os jovens que entram no mercado de trabalho.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Um mais Dois? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos