Economia

Quase 80% do investimento público é com fundos da UE

  • 12 de Outubro de 2018
  • 49 Visualizações, Última Leitura a 9 Dezembro 2018 às 21:25
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

A Comissão Europeia atribuiu 25,8 mil milhões de euros a Portugal ao abrigo dos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI) no orçamento comunitário em vigor, o que representa cerca de 79% do investimento público em curso no país.

De acordo com os dados disponíveis na página do executivo comunitário, Portugal, através de 16 programas nacionais, beneficia de 25,856 mil milhões de euros ao abrigo dos FEEI, completando um investimento global de 32,752 mil milhões de euros com a canalização dos remanescentes 6,896 mil milhões.

“Portugal colheu os frutos de mais de 100 mil milhões de euros de fundos da política de coesão investidos no país desde a sua adesão à União Europeia”, adiantou à agência Lusa a assessora de imprensa da Comissão Europeia para as áreas do Emprego, Crescimento, Investimento e Política Regional.De acordo com Sophie Dupin de Saint-Cyr,

Bruxelas considera que Portugal tem “várias vantagens competitivas, como o apoio ao crescimento sustentável do setor marítimo, as tecnologias digitais ou o turismo”.

“Mais do que nunca, estamos comprometidos em ajudar a transição de Portugal para uma economia moderna e baseada no conhecimento. Os fundos continuam disponíveis para infraestruturas em redes cruciais de transportes e de energia, mas os investimentos da política de coesão estão agora centrados em prioridades estratégicas que a Comissão e Portugal acordaram no início do período 2014-2020”, notou.

Essas prioridades são a inovação, “para ajudar as empresas portuguesas a desenvolver novos produtos e a entrar em novos mercados”, o emprego e inclusão social, “para aumentar as competências e as qualificações da mão-de-obra”, e uma economia limpa e eficiente em termos de recursos.

Os programas em curso refletem isso mesmo, com a maior fatia de investimento, de acordo com os dados disponíveis na página da Comissão Europeia, a destinar-se à competitividade das pequenas e médias empresas, ao treino “vocacional e educacional”, e à inovação e investigação.

“Em 31 de dezembro de 2017, cerca de 16,8 mil milhões de euros (65% do total) foram alocados a projetos no terreno, o que abriu caminho para que mais de 8500 empresas recebessem apoio, com mais de 1000 novos produtos a serem introduzidos no mercado e 450 empresas a cooperarem com instituições de investigação”, pode ler-se no “pacote de inverno do semestre europeu” de coordenação de políticas económicas e orçamentais da União Europeia, apresentado em 7 de março deste ano.

No documento, a Comissão Europeia notava que os fundos comunitários contribuíram para aumentar a capacidade das creches de modo a acomodar mais 32000 crianças, e para melhorar os serviços de saúde de mais de 2,7 milhões de pessoas, com 76000 estudantes universitários a beneficiarem de bolsas e 17000 adultos a participarem em cursos de formação profissional.

“40000 jovens e 11000 adultos foram integrados no mercado de trabalho, e mais de 3000 pessoas com deficiência receberam apoio para trabalhar”, acrescenta, indicando ainda que mais de 43.000 jovens foram apoiados quer através de estágios, quer de subsídios.


Fonte: Lusa

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Dois mais Oito? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos