Economia

Mais de um milhão de dormidas até junho nos Açores

  • 25 de Agosto de 2018
  • 92 Visualizações, Última Leitura a 20 Junho 2019 às 23:35
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Crescimento do número de dormidas no alojamento local e no turismo no espaço rural contribuiu para o registo do recorde de um milhão de dormidas no primeiro semestre deste ano. No total, as dormidas aumentaram 5,3% em relação ao ano anterior.

A Região ultrapassou o milhão de dormidas no primeiro semestre, um recorde para o qual contribuiu o crescimento das dormidas no alojamento local e no turismo rural.

No primeiro semestre registaram-se nos Açores 1.036.199 dormidas, das quais 784.047 foram na hotelaria tradicional, 217.041 no alojamento local, 18.751 no turismo em espaço rural e 16.360 em pousadas da juventude, revela a Publicação do Turismo do Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA).

No total, as dormidas na Região cresceram 5,3 por cento entre janeiro e junho face ao primeiro semestre de 2017, crescimento para o qual o alojamento local foi a tipologia de alojamento que mais contribuiu, uma vez que registou uma taxa de crescimento de 32,5 por cento.

Neste período também o turismo no espaço rural cresceu, neste caso 10,7%, enquanto a hotelaria tradicional estabilizou com um crescimento de 0,2%.

As pousadas de juventude foram a única tipologia de alojamento que registou uma quebra no número de dormidas, registando uma redução de 20,7 por cento.

Refira-se que poderá ter contribuído para esta queda o facto de a Pousada da Juventude de Ponta Delgada ter estado em obras durante a maior parte desse período.

Os dados agora disponibilizados mostram ainda um crescimento do número de dormidas na maioria das ilhas no primeiro semestre face ao mesmo semestre de 2017: a ilha do Corvo foi a que registou maior crescimento (14,3%), seguida do Pico (14,1%), Flores (11,7%), Terceira (7,5%), São Miguel (5%) e Santa Maria (0,9%).

Do outro lado, apenas a ilha do Faial registou uma diminuição do número de dormidas de 0,5%, sendo que as ilhas Graciosa e São Jorge registaram uma variação positiva quase nula de 0,2% e 0,1%, respetivamente.

A Publicação do Turismo do SREA mostra ainda que houve um aumento do número de hóspedes na Região que chegou aos 348.763 hóspedes.

Refira-se que em relação ao número de hóspedes, a taxa de crescimento do alojamento local foi mais acentuada que nas dormidas.

Assim, de janeiro a junho, o alojamento local apresentou uma taxa de 37,5% enquanto a hotelaria tradicional registou 2,3%, relativamente ao período homólogo de 2017. Por países de origem, dos hóspedes registados na Região 55% residiam em Portugal.

Do total de hóspedes estrangeiros, a Alemanha representava 20%, os EUA 17% e Espanha 9%, sendo que estes foram os países de origem de mais hóspedes a residir fora de Portugal.

Portugueses preferem a hotelaria tradicionalA maioria dos hóspedes registados na hotelaria tradicional no primeiro semestre deste ano residia em Portugal, tendência que se inverte quer no alojamento local quer no turismo em espaço rural.

Segundo a Publicação do Turismo, dos 272.099 hóspedes da hotelaria tradicional 57 por cento residiam em Portugal.

No entanto, quando se observam os dados do alojamento local verifica-se que dos 62.498 hóspedes apenas 43% são portugueses enquanto no turismo em espaço rural dos 5180 hóspedes apenas 18% eram portugueses.

Estes dados mostram que a oferta de alojamento local, assim como o turismo em espaço rural, na Região parece estar a atrair mais os turistas estrangeiros que os portugueses.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Quatro mais Nove? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos