Economia

Dormidas na hotelaria estabilizam apesar do aumento de turistas

  • 14 de Agosto de 2018
  • 31 Visualizações, Última Leitura a 23 Setembro 2018 às 19:01
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O número de dormidas na hotelaria tradicional no primeiro semestre deste ano foi semelhante ao registado em 2017, ainda que o número de passageiros desembarcados tenha crescido, revelam os dados do SREA.

De acordo com a informação da atividade turística divulgada pelo Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA), entre janeiro e junho de 2018, nos estabelecimentos hoteleiros da Região registaram-se 784 mil dormidas, valor superior em 0,2% ao registado em igual período de 2017.

No mesmo período desembarcaram no arquipélago 710.471 passageiros aéreos, valor que representa mais 19.345 passageiros desembarcados, ou seja, um aumento de 2,8% face ao mesmo período de 2017.

Perante esta diferença de comportamento, a Direção Regional de Turismo (DRT) lembra que nestes dados não estão contempladas todas as tipologias de alojamento - como o alojamento local e o turismo rural - considerando que quando esses dados forem conhecidos se irá verificar “uma correspondência entre as dormidas e o movimento nos aeroportos dos Açores”.

“Aguardamos os dados de todas as tipologias de alojamento, que devem estar disponíveis no final de agosto, e provavelmente terão alguma correspondência com os dados do movimento nos aeroportos dos Açores que apresentam para o 1º semestre um crescimento de 2,8% nos passageiros desembarcados, que será, ainda, reforçado com os dados do mês de julho com um crescimento de 3,4%”, destaca fonte da DRT.

Os dados agora revelados das dormidas na hotelaria tradicional mostram ainda que no primeiro semestre se registou uma quebra do número de dormidas de residentes no estrangeiro.

“As dormidas dos residentes no estrangeiro registaram uma diminuição de 9,7% no mês de junho e uma diminuição de 4,8% em termos acumulados”, revela o SREA, destacando que de janeiro a junho, o mercado alemão com cerca de 98,9 milhares registou uma variação homóloga acumulada negativa de 13%, enquanto o mercado norte-americano com cerca de 87,5 milhares de dormidas representou uma variação homóloga acumulada de 0,9%.

Em relação a estes dados, a Direção Regional de Turismo destaca que a “contenção nas taxas de crescimento associadas ao número de turistas” é justificada pela “desaceleração conjuntural internacional dos fluxos turísticos já prevista desde fins de 2017”, assim como pelo “ressurgimento de destinos de sol e praia baseadas em políticas comerciais de preço extremamente baixo e fortemente subsidiadas na vertente da promoção”.

“Embora os Açores não se posicionem, nem como destino turístico de baixo preço, nem como destino de sol e praia, na verdade, a promoção intensiva e preços muito baixos em destinos como Egito, Turquia ou Tunísia, influenciam negativamente a notoriedade alcançada e a eficácia/rentabilidade do esforço de promoção desenvolvido”, realça.

Da análise dos dados do SREA verifica-se ainda que nos meses tipicamente de época baixa se verificou um maior crescimento do número de dormidas, enquanto em meses como maio ou junho o número de dormidas já não cresce face ao mês homólogo.

Ou seja, nos meses de janeiro a março verificaram-se crescimentos de 12,4%, 9,9% e 8,6% nas dormidas, enquanto nos meses de abril, maio e junho ocorreram decréscimos de 4,3%, 0,8 e 6,1%, respetivamente.

Já em termos de rentabilidade, no primeiro semestre os estabelecimentos hoteleiros dos Açores registaram proveitos totais que atingiram 38,7 milhões de euros, enquanto os proveitos de aposento chegaram aos 28 milhões de euros, valores que correspondem a variações homólogas positivas de 9,6% e de 11,5%, respetivamente.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Sete mais Dois? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos