Economia

Barroso vai empenhar-se na manutenção de ajudas aos Açores

  • 26 de Fevereiro de 2010
  • 227 Visualizações, Última Leitura a 17 Agosto 2017 às 11:37
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O presidente da Comissão Europeia (CE) assegurou à líder do PSD/Açores, que se vai empenhar para que na reforma dos fundos comunitários e consequente preparação do envelope financeiro 2014-2020, as regiões ultraperiféricas como os Açores continuem a receber o mesmo volume de verbas.

Berta Cabral integrou uma comitiva que esteve ontem, no Parlamento Europeu a assistir à votação do Livro Verde da Política Comum de Pescas, da autoria de Maria do Céu Patrão Neves (ler página 3), e foi recebida na sede da CE por Durão Barroso.

No âmbito da estratégia da UE para 2020, Durão Barroso referiu que “mantém toda a sua política de reforço da coesão das regiões ultraperiféricas” e que “vai desenvolver todos os esforços para manter os níveis de apoio que hoje existem para as regiões ultraperiféricas” no âmbito da estratégia da UE para 2020.

“Levámos muito boas notícias e, certamente, o empenhamento do presidente da Comissão Europeia, tem um visão portuguesa em Bruxelas. Acho que isso é muito importante e tive oportunidade de frisar isto ao Dr. Durão Barroso, que agora está no início de um segundo mandato. É um orgulho para nós portugueses termos um português como presidente da CE”, declarou Berta Cabral.

Berta Cabral lamenta que esta visão não seja “devidamente valorizada”, quando no centro da Europa esta é “essencial” para todos os países, principalmente para os Estados-membros de menor dimensão como Portugal, onde se levantam questões como a ultraperiferia, regionalização, coesão económica e territorial, reforço da competitividade, relançamento da economia e da criação do emprego.

Recorde-se que já a 28 de Janeiro último, num encontro em Bruxelas com o presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, o presidente da CE garantira que a UE está determinada em continuar a dar “uma grande prioridade” às regiões ultraperiféricas.

Durão Barroso defendeu em vésperas do início da discussão do futuro orçamento comunitário que é “importante que se consolide esta doutrina de que as regiões ultraperiféricas merecem uma atenção especial”.

Agora, estas palavras de Durão Barroso, transmitidas a Berta Cabral, surgem numa altura em que circula informação e contra-informação em Bruxelas sobre a derivação dos fundos comunitários para os países de Leste, cujo PIB per capita, na sua maioria, é inferior a países como Portugal e, consequentemente, os Açores.

Oficialmente ninguém fala sobre a matéria,mas numa altura em que na Comissão Barroso se prepara o novo quadro comunitário de apoio, têm chegado à comunicação, através de fugas de informação, dados pouco tranquilizadores para as pretensões dos Açores.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Nove mais Um? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos