Economia

Mais de 100 ME em candidaturas ao Competir+ em seis meses

  • 16 de Março de 2018
  • 142 Visualizações, Última Leitura a 18 Agosto 2019 às 07:10
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Em três anos, este sistema de incentivos recebeu 800 candidaturas para investimentos de mais de 345 milhões de euros.

“É um sinal de que a economia está na direção certa”, diz Ricardo Medeiros, diretor regional do Apoio ao Investimento e Competitividade, referindo-se ao número de candidaturas apresentadas ao Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial - Competir +.

“Em três anos, já temos mais de 800 candidaturas, mais de 345 milhões de investimento apresentado, com um potencial de criação de mais de 1700 postos de trabalho”, e, só nos últimos seis meses, “foram apresentadas candidaturas de mais de 100 milhões”, adiantou o diretor regional, à margem da ação de sensibilização “Investir nos Açores”, promovida ontem pelo Governo dos Açores e a Cresaçor.

Para Ricardo Medeiros, “são números muito animadores, porque em igual período do sistema de incentivos anterior - o SIDER e o Empreendejovem - já ultrapassamos essa fasquia”.

E mostram, por outro lado, “que os mecanismos que a região tem criado para apoio a jovens e às empresas existentes tem de certa forma tido correspondência dessas mesmas empresas e desses mesmos jovens”, sublinhou.

Segundo o diretor regional, a Direção Regional do Apoio ao Investimento e Competitividade (DRAIC) é procurada, todos os meses, em média, por 150 pessoas a pedir informação seja sobre o Competir+, seja sobre o microcrédito - “o que para nós demonstra bem a apetência e a envolvência que estes programas têm trazido para a comunidade empresarial”, afirmou Ricardo Medeiros.

O microcrédito, criado em 2006 na Região, regista, desde então mais de uma centena de candidaturas aprovadas e mais de um milhão em empréstimos aprovados.

E, como adianta o diretor regional, desde 2012 que “o ritmo de entrada de candidaturas e de aprovação de projetos praticamente duplicou em relação ao período anterior”, o que se explica pelo facto de, a partir desse ano, a Região ter aumentado a cobertura do risco por parte das entidades bancárias.

“Anteriormente, a região dava uma garantia de 25% e atualmente passou a dar de 75%”, explica Ricardo Medeiros.

Ontem, três empresários que criaram os seus negócios com a ajuda do microcrédito, aliado ao CPE Premium – Criação do próprio Emprego, deram o seu testemunho de como conseguiram mudar as suas vidas com estes incentivos públicos.

A ideia de negócio surgiu quando frequentou uma ação de formação de empreendedorismo, explicou Fabiane Morais, proprietária da Azores T-Shirts, hoje com duas lojas abertas, uma em Ponta Delgada e outra na Lagoa, e da Azores Sounds.

Já Bruno Lima criou a BL - Soluções Completas de Higienização, depois de ter trabalhado 12 anos por conta de outrém.

Hoje tem uma carteira de 225 clientes, tem um funcionário e pretende criar mais um posto de trabalho em breve para poder dar resposta à procura.

Pedro Santos, com 44 anos, é o proprietário da Urban, uma loja de desporto, situada no centro de Ponta Delgada, que abriu quando se viu no desemprego, depois do negócio dos pais - a Sapataria Estoril - , ter falido.

Três anos depois de ter aberto a porta do seu próprio negócio, orgulha-se de já ter atingido uma faturação de meio milhão de euros.


Fonte: Açoriano Oriental

 

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Nove mais Nove? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos