Economia

Projetos de investimento de 115 milhões nos Açores

  • 14 de Fevereiro de 2018
  • 32 Visualizações, Última Leitura a 23 Fevereiro 2018 às 04:40
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Novos projetos de investimento privado podem criar quinhentos novos postos de trabalho na Região.

Durante os últimos seis meses foram apresentadas candidaturas de projetos privados no valor de 115 milhões de euros nos Açores. Os números foram revelados por Sérgio Ávila, vice-presidente do Governo Regional dos Açores, durante a visita à SISAB - Salão Internacional do Setor Alimentar e Bebidas.

“Registou-se durante os últimos seis meses um montante elevado de novos projetos da economia privada. O ano de 2018 vai ser marcado pelo enorme investimento da economia privada, ligada à exportação que vai provocar um acréscimo da nossa economia e criação de emprego. Nunca na nossa história houve este investimento privado, num curto espaço de tempo”, assinalou.

Sérgio Ávila indicou que dos 115 milhões de investimento privado, 100 milhões são dedicados à exportação. “A indústria agroalimentar vai ter um grande crescimento e também o turismo. Estes dois setores englobam uma grande parte de investimento privado. O investimento é disperso por diversas ilhas dos Açores e durante os próximos dois anos a nossa economia vai ser reforçada”, frisou.

Sérgio Ávila revelou que a concretização destes projetos vai representar a criação de 500 postos de trabalho. “Os projetos que entraram nos últimos seis meses de intenções de investimento representam a criação de mais 500 postos de trabalho. Isto é um sinal claro da confiança dos empresários no futuro da nossa economia”, destacou.

A Região também vai manter o apoio às empresas açorianas para estarem presentes em feiras internacionais. A SDEA (Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores) vai participar na Alimentária Barcelona e na SIAL, em Paris. Duas das maiores feiras da Europa na área alimentar e bebidas que permitem um contacto direto com milhares de importadores.

Para garantir uma promoção dos produtos no mercado da saudade, a Região vai estar presente em feiras no Canadá e Estados Unidos da América. Está prevista a presença na SIAL Montreal e na Fancy Food, que se realiza em Nova Iorque.

Na Região também vão ser desenvolvidas ações para promover os produtos da marca Açores, através de feiras realizadas nas ilhas de São Miguel, Terceira e Faial.

Sérgio Ávila também comentou o crescimento da exportação de produtos açorianos em 2017, tendo subido 8,8 por cento. “A nossa aposta na economia da exportação tem apresentado resultados positivos. Houve um aumento de vendas para o estrangeiro, mas também para o mercado do continente. Isto é muito positivo para a nossa economia. Estamos a consolidar o crescimento económico da Região”, afirmou aos jornalistas durante a SISAB.


Feira de oportunidades

Os empresários dos Açores presentes na SISAB 2018 consideram que este evento representa uma oportunidade para promover e divulgar os seus produtos junto dos importadores, mas alertam que a maioria dos negócios não se fecham durante os três dias em Lisboa.

“Nesta fase apenas estamos a namorar com os clientes. Só mais tarde, após troca de informações de preços, é que podemos ou não fechar um negócio”, contou um dos empresários, acrescentando que apenas se concretizam “10 por cento” dos negócios que se negoceiam a partir desta feira.

A grande vantagem para as empresas açorianas é que esta feira representa uma oportunidade única para apresentar os seus produtos a importadores de 130 países. Mesmo que se concretizem uma percentagem reduzida de negócios, tal representa um contributo muito importante em termos de volume de negócios.

Os empresários assumem que durante esta feira, no passado, já estabeleceram alguns dos negócios mais importantes das suas empresas para o estrangeiro.

É com o espírito de renovar contactos e estabelecer novas parcerias que as empresas se deslocam a Lisboa, expondo e apresentando os seus produtos junto de centenas de importadores que podem comprar a produção regional para 130 países.

As empresas açorianas apostam na venda para o mercado da saudade, nos Estados Unidos da América e Canadá, mas também centram atenções no mercado europeu.

A Alemanha tem sido um país que tem aumentado a procura por produtos açorianos, sendo que ao longo da feira também são estabelecidos contactos com empresários da Ásia e Austrália.

José Coutinho, natural de Viana do Castelo, trabalha como importador para a Austrália e deslocou-se ao stand dos Açores para procurar queijos e licores.

“Gostei muito da aguardente com mel dos Açores da empresa Lima&Quental. Uma delícia. Agora o problema é que para importar produtos com álcool é preciso pagar uma taxa elevada de imposto. Agora vale a pena arriscar para comprar produtos em Portugal porque os preços são competitivos”, referiu. O importador também mostrou interesse em adquirir queijo de São Jorge da Lactaçores.

“Os australianos gostam de provar novos produtos, mas gostam de comprar com qualidade. É um povo com capacidade financeira para comprar produtos mais caros, mas gostam de sentir confiança na qualidade dos produtos”, salientou.


Fonte: Açoriano Oriental

 

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Seis mais Nove? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos