Economia

AEP lembra que instabilidade política é prejudicial ao crescimento económico

  • 12 de Fevereiro de 2010
  • 186 Visualizações, Última Leitura a 20 Agosto 2017 às 04:03
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O presidente da Associação Empresarial Portuguesa (AEP), José António Barros, defendeu hoje, em Lisboa, que a instabilidade política "é prejudicial para o crescimento da economia".

"Qualquer instabilidade é prejudicial", garantiu o dirigente associativo, no final de uma audiência com o Presidente da República, Cavaco Silva.

"Era importante que todos os responsáveis políticos fossem capazes de se unirem em torno de um esforço comum, seja o Governo, sejam os partidos da oposição", sublinhou.

José António Barros também defendeu a criação de estímulos, entre os quais fiscais, para o crescimento do investimento.

"Para o crescimento económico há necessidade da criação de vários estímulos que favoreçam o investimento, entre os quais a capacidade de o Governo proporcionar um clima de confiança entre os investidores", referiu.

"A criação também de estímulos fiscais inteligentes para o investimento" é outra das medidas defendidas pela AEP para um "maior crescimento económico, de forma que o país consiga cumprir o plano de convergência económica".

Sobre os dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, segundo os quais o crescimento económico no quarto trimestre de 2009 foi de - 0,8 por cento, acumulando uma queda anual de - 2,7 por cento, O dirigente empresarial disse apenas que "esses números não merecem comentários, porque já as previsões económicas apontavam para um crescimento negativo de - 2,6 por cento".

José António Barros disse ainda que, na audiência com o Chefe de Estado, foram abordados assuntos ligados à situação económica do país.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Nove mais Três? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos