Economia

Desemprego na Região é situação inevitável

  • 10 de Fevereiro de 2010
  • 149 Visualizações, Última Leitura a 19 Outubro 2017 às 17:12
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O presidente do Governo Regional, Carlos César, reconheceu ontem no parlamento açoriano que “existem dificuldades” no que se refere ao desemprego no arquipélago.

Numa intervenção realizada no âmbito de um debate de urgência sobre o desemprego nos Açores proposto pelo Bloco de Esquerda (BE), Carlos César disse que apesar do desemprego afeta 0,5 por cento da população açoriana “é importante não só assegurar o apoio as essas pessoas mas também trabalhar para que os restantes 95,5 por cento não fiquem sem emprego”.

Nesse sentido, o presidente do Governo Regional apelou à oposição que apresente “propostas sérias” para minimizar o problema.

Carlos César frisou o facto dos efeitos da crise terem tido menores reflexos ao nível regional em relação ao contexto nacional e internacional.

A líder parlamentar do BE, Zuraida Soares, referiu que o problema do desemprego “assume dimensões dramáticas na Região atingindo em alguns casos mais que uma pessoa por agregado familiar”.

Zuraida Soares adiantou que para além de cerca de mais de seis mil desempregados existem centenas de trabalhadores com salários em atraso na Região e muitos que não podem aceder ao subsídio de desemprego.

António Marinho, líder parlamentar do PSD, disse que em vez do Governo Regional disser que nos Açores “a situação é melhor do que lá fora deve é apresentar soluções para travar o desemprego que atinge cerca de 8.500 açorianos”.
António Marinho apelou a Carlos César que adote algumas das medidas que propôs para combater o desemprego em 1993 quando o PSD estava no Governo Regional.

Na resposta a essa intervenção o líder da bancada socialista, Hélder Silva, refutou “os números falsos” do desemprego apresentados pelo PSD.

Para o líder parlamentar do CDS/PP, Artur Lima, é que preciso apoiar as empresas para que essas possam manter os postos de trabalho, tal com o seu partido defende desde 2005.

Para o deputado do PCP, Aníbal Pires, os números oficiais de desemprego não refletem a situação real e que o problema é estrutural.

Paulo Estêvão, deputado do PP, acusou o Governo Regional de “não estar a fazer tudo” para enfrentar a questão do desemprego.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Três mais Sete? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos