Economia

PSD quer reanimar construção civil com linha de crédito para dívidas ao fisco e segurança social

  • 5 de Fevereiro de 2010
  • 212 Visualizações, Última Leitura a 20 Agosto 2017 às 07:57
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

A presidente do PSD/Açores, Berta Cabral, defendeu hoje que a reanimação do sector da construção civil deve passar pelo lançamento de uma linha de crédito para as empresas liquidarem as dívidas ao fisco e à segurança social.

“Sem liquidar as dívidas ao fisco e à segurança social, nenhuma empresa pode funcionar normalmente”, afirmou a líder regional social democrata, propondo o lançamento de uma linha de crédito para este efeito.

Berta Cabral, que falava aos jornalistas no final de uma reunião com a direção da Associação de Industriais da Construção Civil e Obras Públicas dos Açores (AICOPA), considerou o setor “importantíssimo” para a economia regional, frisando que “tem sido o mais afetado pela crise”.

“É urgente relançar a construção civil”, afirmou, considerando que o governo regional “lançou algumas medidas, mas nem todas tiveram o efeito desejado, pelo que devem ser repensadas e reorientadas”.

Para Berta Cabral, a reanimação do setor passa pelo lançamento de obras, tendo destacado a importância das obras públicas neste processo.

Nesse sentido, defendeu ser “urgente pôr em execução o orçamento regional”, mas também “resolver o problema das verbas que ainda não foram transferidas para as autarquias, nomeadamente os cinco por cento do IRS que continuam sem receber”.

O fomento do crédito à habitação foi também defendido pela presidente do PSD/Açores como uma das formas de “reanimar o mercado imobiliário”.

Por seu lado, o presidente da AICOPA, Albano Furtado, também frisou a importância do “lançamento de obras, públicas e privadas” para a reanimação do setor da construção civil, alertando que “as empresas estão afogadas e o desemprego está a atingir níveis elevados”.

“Esperamos que o orçamento regional seja cumprido e que sejam resolvidos os problemas das autarquias, para poderem lançar pequenas obras que são fundamentais para reanimar a economia local”, afirmou Albano Furtado.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Sete mais Dois? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos