Economia

Exportações aumentam 0,4% e importações sobem 10,8% em abril

  • 13 de Junho de 2017
  • 43 Visualizações, Última Leitura a 21 Agosto 2017 às 11:55
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

As exportações aumentaram 0,4% e as importações subiram 10,8% em abril face ao período homólogo, o que se traduziu num agravamento do défice da balança comercial para 1239 milhões de euros, divulgou o INE.

Em março as exportações e as importações tinham registado aumentos homólogos nominais de 23,8% e 14,9%, pela mesma ordem.

Segundo as Estatísticas do Comércio Internacional do Instituto Nacional de Estatística (INE), a desaceleração das exportações e das importações "estará em parte associada a efeitos de calendário, mas em sentido contrário ao verificado em março de 2017". É que, em 2017, a Páscoa ocorreu em abril, enquanto em 2016 foi em março.

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, no mês de abril as exportações diminuíram 2,3% e as importações aumentaram 6,1% (respetivamente +21,1% e +15,0% em março de 2017).

Considerando o trimestre terminado em abril, as exportações e as importações de bens aumentaram respetivamente 11,1% e 11,8% face ao período homólogo.

No mês em análise, o défice da balança comercial de bens situou-se em 1239 milhões de euros, o que representa um aumento de 509 milhões de euros face ao mês homólogo de 2016.

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 900 milhões de euros, mais 367 milhões de euros do que no mesmo mês de 2016.

O INE explica que o aumento homólogo mensal de 0,4% das exportações em abril aconteceu sobretudo em resultado das exportações para os países extra-União Europeia (EU), que cresceram 15,4% (+33,4% em março de 2017), já que as exportações intra-UE caíram 3,9% (+20,7% em março de 2017).

De igual modo, as importações aumentaram 10,8% principalmente devido ao "acentuado crescimento" registado no comércio extra-UE, que atingiu +45,6% (+12,2% em março de 2017), refletindo "em grande medida" o impacto do aumento das importações de combustíveis e lubrificantes, "em especial devido à evolução dos preços".

Em abril, "destacam-se claramente", quer nas exportações, quer nas importações, os aumentos registados nos combustíveis e lubrificantes (correspondente a +55,1% e +63,7% respetivamente), "decorrente em grande medida do impacto do aumento dos preços".

Em sentido contrário, salientam-se ainda as reduções nas exportações de bens de consumo (-9,6%) e material de transporte (-8,2%).

Tendo em conta os principais países de destino em 2016, o INE destaca em abril os aumentos das exportações para os parceiros extra-UE, nomeadamente para Marrocos, Angola e EUA (correspondentes a +102,1%, +41,1% e +15,9% respetivamente). Nota ainda que neste mês diminuíram as exportações para os quatro principais mercados (Espanha, França, Alemanha e Reino Unido).
Entre os maiores países fornecedores em 2016, em abril apenas as importações provenientes de França e Reino Unido diminuíram em comparação com o mesmo mês do ano passado, tendo-se os maiores acréscimos registado nas importações de Espanha (correspondente a +2,6%), Alemanha (+6,0%) e China (+25,6%).

Nas estatísticas divulgadas o INE apresentou ainda a informação relativa ao primeiro trimestre de 2017 no âmbito dos Índices Trimestrais de Valor Unitário do Comércio Internacional, tendo o índice de valor unitário das exportações apresentado, pela primeira vez desde o primeiro trimestre de 2014, uma taxa de variação homóloga positiva.

No entanto, nota, a perda de termos de troca (preço relativo das exportações em termos das importações) iniciada no terceiro trimestre de 2016 acentuou-se neste primeiro trimestre de 2017, "fundamentalmente devido aos preços dos produtos petrolíferos e com maior impacto nos preços das importações".


Fonte: Jornal de Notícias

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Três mais Sete? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos