Economia

Ryanair recebeu 129 mil euros para promover os Açores

  • 11 de Abril de 2017
  • 376 Visualizações, Última Leitura a 15 Outubro 2019 às 18:53
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

A Associação de Turismo Açores (ATA) pagou à companhia aérea de baixo custo (low-cost) Ryanair  cerca de 129 mil euros, para aumentar a notoriedade do destino Açores.

De acordo com uma resposta do Governo dos Açores a um requerimento do Bloco de Esquerda (BE), em 2015, foram feitos pela ATA dois contratos com a Ryanair que, no seu conjunto quase atingiram os 100 mil euros: um primeiro, no valor de 24799 euros, para serviços de publicidade (com a exibição de cartazes) à nova rota Londres/Ponta Delgada, no aeroporto de Stansted, entre 9 de março e 31 de maio daquele ano; e um segundo contrato, no valor de 74995 euros, para promoção, através de meios digitais/online, da rota aérea Londres-Ponta Delgada, Inverno IATA 2015, entre 1 de outubro e 31 de dezembro daquele mesmo ano. Seguiu-se, no ano seguinte, um novo contrato de 29005 euros para publicidade ao destino turístico Açores nos compartimentos para bagagem de cabine em três aeronaves por um período de três meses (entre 11 de abril e 31 de julho de 2016).

Ao todo, entre 2015 e 2016, a Ryanair recebeu 128 799 euros da Associação de Turismo Açores para promover o destino Açores, no âmbito de uma campanha de “awareness” nos canais de comunicação da companhia aérea de baixo custo.

O executivo açoriano explica, no requerimento, que esta parceria justifica-se, “tendo em conta a ligação direta Londres-Ponta Delgada, operada pela companhia aérea Ryanair, considerando a importância das ligações aéreas diretas no aumento dos fluxos turísticos para o destino Açores e considerando, também, a relevância do mercado do Reino Unido, no conjunto das dormidas no destino.”

O Governo dos Açores garante, mais uma vez, que “não ofereceu contrapartidas à Ryanair, ou qualquer outra companhia aérea, para realizar ligações aéreas abrangidas pelo novo modelo de acessibilidades entre o continente e os Açores, e entre estes e a Madeira”. Uma garantia que surge em resposta à questão feita pelo Bloco de Esquerda se tinham sido oferecidas contrapartidas para que a Ryanair passasse a operar para a Terceira.

Questionado sobre a decisão anunciada recentemente pela Easyjet de abandonar a operação para os Açores, o executivo açoriano adianta que, teve conhecimento da referida decisão, através do secretário regional que tutela os Transportes, na semana em que esta foi anunciada publicamente. E em resposta ao BE diz ainda que não tem conhecimento de que a Ryanair tenha as mesmas intenções, escusando-se contudo a responder à pergunta do Bloco de Esquerda sobre quais as medidas que o Governo Regional tenciona tomar se a Ryanair decidir abandonar a operação para os Açores, no sentido de colmatar estas saídas, argumentando que se trata de uma questão “especulativa”.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Dois mais Três? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos