Economia

Portugal vai propor aos EUA base aeronaval nas Lajes

  • 21 de Fevereiro de 2017
  • 495 Visualizações, Última Leitura a 25 Agosto 2019 às 11:59
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O Governo da República está a preparar uma proposta concreta sobre o futuro da Base das Lajes, para apresentar em maio aos Estados Unidos da América (EUA): a criação de um Centro de Segurança Atlântica, noticiou o semanário Expresso.

A ideia de transformar a atual base aérea nº4 das Lajes, na ilha Terceira,  numa base aeronaval, será proposta na reunião, agendada para o próximo mês de maio, da Comissão Bilateral Permanente entre os dois países, avança o semanário, na sua edição impressa.

Um dos temas da referida reunião é a utilização da “capacidade remanescente da base para desenvolver novas áreas de cooperação no âmbito da segurança e defesa”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, ao Expresso.

Para o ministro, a segurança no Atlântico implica meios aéreos, meios navais e a coordenação estratégica de informações.

E, de acordo com Santos Silva, se os EUA tiverem interesse nesta iniciativa, o Centro de Segurança Atlântica poderá envolver também outros países da área atlântica.

O ministro dos Negócios Estrangeiros deu o exemplo do Golfo da Guiné, uma das regiões mais perigosas, ameaçada pela pirataria, e uma importante rota comercial e de energia, onde a marinha portuguesa já tem participado em missões de vigilância e recolha de informações. “Se pensarmos na segurança do Golfo da Guiné, estamos a pensar além da NATO”, disse.

Já o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, salientou, em declarações ao Expresso, que há que deixar as velhas discussões para pensar o futuro, propondo soluções que não só valorizem Portugal e o papel do país na defesa, mas que tenham capacidade de atrair outros países, além dos EUA, nomeadamente países de língua portuguesa.

Recorde-se de que, na mesa das negociações com os EUA, estão outras duas ideias para as Lajes. Uma é a insistência na revisão do contingente militar que, neste momento, do ponto de vista do Estado português não corresponde ao valor estratégico da base; outra ideia é a utilização de parte das infraestruturas da base para o futuro AIR Center - Azorean International Research Center.

Segundo o semanário Expresso, o futuro centro de investigação, a criar nos Açores e que será dedicado à área atmosférica e do clima, espaço, oceanos e energia, conta já com a participação do Brasil, e tem a aprovação da União Europeia, bem como da NASA e de várias universidades americanas.

Mas, segundo o semanário, a nova administração norte-americana tem ainda de confirmar a sua participação no projeto que já tinha sido avalizado pelo Departamento de Energia durante a administração de Obama.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Sete mais Nove? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos