Economia

Hotelaria com crescimento superior a 20% nas dormidas

  • 16 de Fevereiro de 2017
  • 313 Visualizações, Última Leitura a 16 Novembro 2018 às 11:58
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Dados do turismo mostram que a Região cresceu mais de 20% no número de dormidas e 30% nos proveitos em 2016.
O setor do turismo nos Açores continuou a crescer em 2016 , com o aumento do número de dormidas a superar os 20 por cento e os proveitos totais os 30 por cento, face ao ano anterior.

Estes dados foram ontem divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que destaca o arquipélago como a Região do país onde se verificou o maior aumento relativo do número de dormidas.

Analisando os dados, verifica-se assim que em 2016, o número de hóspedes nos Açores aumentou 18,9% para 509,1 mil, enquanto as dormidas cresceram 21,1% para 1,5 milhões, face ao ano anterior. 
Recorde-se que já no conjunto de 2015, a subida do número de hóspedes havia sido de 23,9% e a de dormidas de 19,8%.

Em todo o ano de 2016, as dormidas de residentes em Portugal cresceram 17,5%, para perto de 633 mil, o que representa um aumento menor ao do ano anterior. Por seu lado, as dormidas de estrangeiros subiram 23,8%, para 910,7 mil (mais 175 mil dormidas face a 2015), representando  59% do total.

“O mercado alemão com cerca de 229,6 milhares concentrou 14,9% do total das dormidas, representou por outro lado, 25,2% das dormidas dos não residentes em Portugal e registou uma variação homóloga acumulada de 19,1%”, descreve o Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA), destacando que de janeiro a dezembro, “o mercado norte-americano (EUA e Canadá) com cerca de 158,1 milhares de dormidas representou 10,2% das dormidas totais e 17,4% das dormidas dos não residentes, apresentando uma variação homóloga acumulada de 43%”.

Em relação aos resultados da atividade, os  proveitos totais dos alojamentos turísticos  nos Açores atingiram 70,7 milhões de euros e os de aposento 51,7 milhões de euros (subidas de 30,2% e de 28,5%), o que superou o aumento verificado em 2015 (21,7% e 22,5%, respetivamente).

Refira-se ainda que o conjunto do ano de 2016, o rendimento por quarto se fixou em 32,3 euros (+20,5% do que em 2015, em que se tinha situado em  26,8 euros).

No total do país,  o INE divulgou que o número de hóspedes aumentou 9,8% para 19,1 milhões em 2016 e as dormidas 9,6% para 53,5 milhões, o que representa mais 4,7 milhões de dormidas face a 2015 e um crescimento de 12,5% face a 2015. Enquanto os proveitos totais aumentaram 17% e os de aposento 18%.

A análise estatística mostra ainda que as dormidas aumentaram no conjunto de 2016 em todas as regiões do país, com destaque para os Açores (21,1%), Norte (12,8%) e Alentejo (10,8%).

Face a estes dados a secretária de Estado do Turismo destacou que  “são muito satisfatórios” e mostram que é possível a atividade turística ser mais sustentável ao longo do ano e do território.

“Os números são muito satisfatórios, porque demonstram que é possível que a atividade turística seja mais sustentável ao longo do ano e do território”, disse Ana Mendes Godinho citada pela Lusa, frisando que “positivo” é também o crescimento que “está a acontecer em todo o país”, afirmou Ana Mendes Godinho, destacando o caso particular dos Açores que cresceram na ordem dos 21%, para além  do Norte, a crescer perto dos 13%, e do Alentejo, a subir cerca de 11%.

 

São Jorge foi a única ilha que se manteve estável

Apenas a ilha de São Jorge não apresentou um aumento no número de dormidas em 2016, mostram os dados da atividade turística nos Açores.

Segundo o SREA, São Jorge apresentou em 2016 uma variação homóloga acumulada negativa de 0,5%, ou seja, menos 104 dormidas que no ano anterior.

Questionada sobre estes dados  a Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo desvalorizou, afirmando que se trata de “um decréscimo muito ligeiro” após no ano anterior  se ter “ registado um crescimento anormal e portanto é a base de 2015 que faz com que o ano de 2016 tenha este ajustamento” .

De acordo com os dados divulgados, de janeiro a de dezembro, o número de dormidas aumentou em todas ilhas, tendo em valor absoluto São Miguel sido a ilha que registou maior crescimento: mais 141.793 dormidas, o que representa um aumento de 15,6 por cento face a 2015.

Em termos relativos, foi a ilha Terceira que ficou à frente tendo registado mais 63,4 por cento de dormidas face a 2015, ou seja, mais 99.941.

Assim, a   ilha  de  São  Miguel  com  1,05 milhões de  dormidas  concentrou  67,9%  do  total  das  dormidas, seguindo-se a Terceira com 257,6 mil dormidas (16,7%) e o Faial com 103,8 mil dormidas  (6,7%). Em termos de proveitos totais também as ilhas  de  São  Miguel,  Terceira  e  Faial  foram  as  que  maior  peso  tiveram, respetivamente com 69,1%, 14,3% e 7,5%.


Empresários lembram sustentabilidade

O presidente da Câmara de Comércio e Indústria dos Açores, Sandro Paim, mostrou-se satisfeito com o crescimento do turismo, lembrando a preocupação com a sustentabilidade.

“O crescimento é positivo e está a permitir que o setor do turismo ganhe alguma estabilidade e crie emprego. E a câmara de comércio congratula o Governo e os privados pelo trabalho que estão a fazer”, afirmou, destacando, no entanto, que os empresários têm  “algumas preocupações nomeadamente na sustentabilidade do crescimento”, através de “ apostas claras e concretas na formação dos nossos recursos humanos, na qualificação dos espaços públicos e nas acessibilidades aéreas e marítimas”.

 

1,9 milhões de passageiros nos aeroportos geridos pela ANA

A ANA-Aeroportos de Portugal, empresa gestora dos aeroportos  de Ponta Delgada, Santa Maria, Horta e Flores, revelou que em 2016 os Açores registaram um tráfego de 1,9 milhões de passageiros, o que representa um crescimento de 18%, face ao ano anterior.

 

Crescimento do turismo vai continuar apesar dos desafios

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo diz acreditar que em 2017 se vai manter o nível de crescimento no turismo na Região, lembrando que ainda há desafios, como o combate à sazonalidade ou a formação.

“Em 2017 acreditamos que seremos capazes de manter o nível de crescimento registado no ano passado, ainda que tenhamos a consciência que não será possível manter este nível  permanentemente”, disse Marta Guerreiro num comentário aos dados do turismo divulgados pelo Serviço Regional de Estatística e pelo Instituto Nacional de Estatística.

Para a governante este ano a prioridade será fazer crescer o período da época alta e combater a sazonalidade, bem como a qualidade do destino Açores, “bem sustentada e bem reconhecida” por via da formação para jovens e da requalificação de quem já está no setor, em áreas como a restauração, mesa e bar, cozinha, atividades de Natureza, Línguas e património.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Um mais Oito? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos