Economia

Investimento das empresas deverá desacelerar

  • 27 de Janeiro de 2017
  • 345 Visualizações, Última Leitura a 18 Outubro 2019 às 11:16
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O investimento empresarial deverá desacelerar para 3,8% este ano, depois de em 2016 ter crescido 6,5%, acima das perspetivas, revela o Inquérito de Conjuntura ao Investimento divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo as intenções manifestadas pelas empresas na última edição do inquérito - que decorreu entre 1 de outubro de 2016 e 18 de janeiro de 2017 - o aumento de 6,5% do investimento no ano passado traduz “uma ligeira revisão em alta face às perspetivas reveladas no inquérito anterior (variação de 6,0%) e uma revisão mais acentuada face às perspetivas reveladas no inquérito de outubro de 2015 (variação de 3,1%)”.

No que diz respeito aos objetivos do investimento, o INE diz perspetivar-se entre 2016 e 2017 “uma redução da importância relativa dos investimentos orientados para a substituição, para a extensão da capacidade de produção e para outros investimentos, enquanto o investimento associado à racionalização e restruturação verá o seu peso relativo aumentar”. Já o investimento de extensão da capacidade de produção “destacou-se por ser o mais referido em ambos os anos”.

Relativamente aos fatores que mais limitaram o investimento nos dois anos analisados, as empresas destacaram a “deterioração das perspetivas de venda”, seguindo-se, em 2016, a “insuficiência da capacidade de autofinanciamento” e, em 2017, a “incerteza sobre a rentabilidade dos investimentos”.

Entre 2016 e 2017, prevê-se um aumento do peso relativo da deterioração das perspetivas de venda e da dificuldade em obter crédito bancário e uma redução do peso relativo da capacidade de autofinanciamento.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Nove mais Sete? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos