Economia

Dois indivíduos colocaram o Porto das Pipas em alvoroço na madrugada de Domingo, provocando uma onda de violência

  • 1 de Abril de 2008
  • 332 Visualizações, Última Leitura a 23 Setembro 2017 às 12:58
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

 

 

 

 

Um indivíduo foi agredido com uma navalha na madrugada do passado Domingo na sequência de desacatos no Porto das Pipas. as cenas de violência começaram junto a um dos bares, quando dois indivíduos se envolveram numa rixa, tendo um deles feito uso de uma arma branca para atingir o oponente. Em poucos minutos, gerou-se a confusão, com muitas das largas dezenas de pessoas que se encontravam na zona exterior dos bares nessa altura, entre as quais alguns menores de idade, a procurar refúgio entre as viaturas estacionadas próximas do local, para não se serem envolvidas nos actos de violência. Entretanto, outros indivíduos juntaram-se para perseguir e agredir o homem que tinha na sua posse a arma branca. As agressões cessaram, largos minutos após terem começado, junto à estrada de acesso ao porto das Pipas, quando a PSP de angra do Heroísmo foi chamada a intervir na sequência de um telefonema de uma das pessoas que se encontravam no local com um grupo de amigos. Segundo apurou o Di, o homem que foi agredido por vários indivíduos por ter usado a navalha na briga foi assistido no Hospital de Santo espírito de angra do Heroísmo por ter vários ferimentos sem gravidade. Quando os ânimos acalmaram, muitas pessoas manifestaram a sua indignação pela falta de segurança e decidiram abandonar o local por sentirem que a sua integridade física podia ser colocada em causa. TERRA DE NINGUÉM As cenas de pancadaria tem sido frequentes no Porto de Pipas desde que começaram a funcionar, o ano passado, naquele local, três bares. Uma vez que se trata de uma zona portuária, aquele local é uma terra de ninguém, onde é raro observar a presença das autoridades policiais. Embora se trate de zona onde a competência pertence à Polícia Marítima, existe um entendimento com a PSP para que essa força de autoridade possa intervir sempre que a ordem pública seja colocada em causa. Segundo apurou o Di, a PSP de angra poderá iniciar, em breve, o patrulhamento da zona caso os proprietários dos estabelecimentos daquela zona ou a associação representativa do sector assumam as despesas da remuneração dos agentes que poderão ser destacados para essa tarefa. O pagamento das despesas com o patrulhamento pelos proprietários é bares é facultativo.

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Seis mais Sete? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos