Economia

Açores com o maior aumento de dormidas e de proveitos

  • 16 de Dezembro de 2015
  • 492 Visualizações, Última Leitura a 21 Agosto 2018 às 02:16
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

Dados divulgados pelo INE, referentes a outubro, mostram uma evolução positiva para os Açores referente a dormidas e proveitos.

A Região Autónoma dos Açores foi a região do país com o maior aumento de dormidas e o maior aumento de proveitos, em outubro.

Segundo os dados divulgados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), à semelhança do mês anterior, observou-se um aumento do número de dormidas em todas as regiões portuguesas, mas os Açores destacaram-se, com uma subida de 21,9% face ao mês anterior, tal como a região Norte, embora esta última numa menor proporção (+14,9%).

O último destaque do INE referente à atividade turística revela ainda que todas as regiões apresentaram aumentos expressivos dos proveitos, genericamente superiores aos das dormidas, mas que foi nos Açores que se registou o maior aumento dos proveitos totais (subida foi da ordem dos 27,6%) e dos proveitos de aposento (aumento de 26,2%).

Note-se que os proveitos de aposento são os valores resultantes exclusivamente das dormidas, enquanto os proveitos totais incluem além das receitas relativas às dormidas, outros decorrentes de atividades associadas, como  restauração, cedência de espaços, lavandaria, tabacaria, comunicações, entre outros.

O mercado interno manteve uma evolução maioritariamente positiva, embora desacelerando face ao mês anterior. Como ressalva o INE, salientaram-se a  Região Autónoma dos Açores com uma subida de 45,7%, face ao aumento de 47,3% em setembro.

Quanto às dormidas de não residentes aumentaram em todas as regiões, sendo que, nos Açores, o aumento foi de 8,6%.

No que se refere à  estada média (relação entre o número de dormidas e o número de hóspedes que deram origem a essas dormidas), os Açores acompanharam a tendência de redução verificada no país (-2,8%), mas, nesta região, o número de noites foi superior à média nacional, uma vez em outubro passado a estada média foi de 3,10, quando no ano passado, no mês homólogo, tinha sido de 3,21. Mesmo assim, o Algarve e a Madeira foram as regiões do país onde a estada média foi superior: 4,49 noites na primeira, e 5,43 na segunda.

A taxa líquida de ocupação-cama (relação entre o número de dormidas e o número de camas disponíveis, considerando como duas as camas de casal) nos Açores foi de 39,2%, superior à do mês homólogo (32,6%), mas inferior à taxa nacional que se fixou em outubro nos 47,9%.

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) foi, no mês em análise, de 23,7 euros, quando no ano passado, no mesmo mês, tinha sido de 18,8 euros. O RevPAR do país ficou em 37,7 euros (+14,6%).


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Três mais Um? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos